As possibilidades de Cannes 2013
Michael Douglas e Matt Damon em "Behind the Candelabra": o biopic sobre Liberace pode ser um dos acontecimentos de Cannes.

Cannes 2013  

As possibilidades de Cannes 2013

Em meados de abril, o festival francês anunciará a sua competição oficial. Estes são alguns títulos e autores que devem constar da seleção.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 As possibilidades de Cannes 2013
The Bling Ring "The Bling Ring" conta a história real de um grupo de adolescentes que se especializaram em cometer pequenos assaltos em casas de celebridades, como Paris Hilton e Orlando Bloom. Sofia Coppola é responsável pela direção, produção e roteiro.
Artigo recomendado:
As possibilidades de Cannes 2013
Cannes 2013
Cannes 2013: o cartaz amoroso Através de uma fotografia de Paul Newman e Joanne Woodward o Festival de Cannes pretende celebrar a vertigem amorosa do cinema.

Ao longo de março multiplicaram-se, em diversos artigos, uma série de suposições sobre os filmes que poderão competir pela Palma de Ouro ou ter a primazia de uma antestreia mundial no mais prestigiado festival de cinema do mundo.

Cannes prima por manter uma relação constante com os "seus" autores e basta seguir o rasto de algumas produções concluídas para perceber quem deve marcar presença na seleção 2013.
Sofia Coppola poderá regressar à Croisette com "The Bling Ring" (trailer anexo) - a realizadora esteve pela última vez no festival com "Marie Antoinette", em 2006, e depois disso foi a Veneza ganhar o Leão de Ouro com "Algures - Somewhere".

Steven Soderbergh não tem sido uma presença regular em Cannes, apesar da estreia auspiciosa quando ganhou a Palma de Ouro com "Sexo Mentiras e Vìdeo", a sua primeira longa-metragem! Tudo indica que encontrá espaço na seleção deste ano para mostrar "Behind the Candelabra", o seu muito aguardado biopic sobre Liberace, com Michael Douglas e Matt Damon.

Seguindo o rasto de outros "autores de Cannes" encontramos uma série de obras que ficam concluídas neste primeiro semestre do ano.

É o caso de "Inside Llewyn Davis" de Joel e Ethan Coen, uma dupla associada ao festival. Os dois realizadores não apresentam um filme em Cannes desde 2007 ("Este País Não é Para Velhos"), mas marcaram presença com sete filmes: "Este País...", "Quinteto da Morte", "Irmão Onde Estás", "O Grande Salto", "Barton Fink" (Palma de Ouro), "O Barbeiro" e "Fargo" (prémios de realização).

O norte-americano Jim Jarmusch também é um regular de Cannes e o seu novo filme, "Only Lovers Left Alive", uma abordagem ao universo temático dos vampiros, está pronto para ser incluído na seleção. Jarmusch tem filmado de forma irregular mas ganhou alguns prémios no festival com "Flores Partidas" (grande prémio do júri em 2005), "Café e Cigarros parte III" (Palma de Ouro curta-metragem em 1995) "Para Além do Paraíso" (Câmara de Ouro para primeira obra em 1984) e "O Comboio Mistério" (contribuição artística em 1989).

O contingente norte-americano pode ficar completo com "Nebraska", de Alexander Payne (esteve presente em 2002 com "As Confissões de Schmidt"),
"Lowlife", o quinto filme de James Gray (presença habitual no festival onde mostrou "Nas Teias da Corrupção", "Nós Controlamos a Noite" e "Duplo Amor"), e "The Butler", de Lee Daniels ("Precious" foi uma descoberta do Un Certain Regard em 2009 e no ano passado mostrou "Um Rapaz do Sul" na competição).

Há dois anos, o realizador de origem dinamarquesa, Nicolas Winding Refn, ganhou o prémio de melhor realizador com "Drive". Faz sentido que o seu filme seguinte surja em Cannes e tudo indica que Refn está a guardar "Only God Forgives" para o festival (ver trailer).

A seleção destas obras garante as presenças de atores reconhecidos como Amy Adams, Carey Mulligan, Matt Damon, Ryan Gosling, Mara Rooney, Marion Cotillard, Brad Pitt, Justin Timberlake, Tilda Swinton e Mia Wasikowska.

Produções europeias e incertezas relevantes
Entre as produções francesas que suscitam mais expectativa estão duas obras faladas em inglês: "Blood Ties" do ator francês Guillaume Canet (na sequência do popular "Pequenas Mentiras Entre Amigos") e "Jimmy Picard", de Arnaud Desplechin. O festival considerará ainda "Goodbye To Language", o filme 3D de Jean-Luc Godard, o conto erótico "Le Bleu est Une Coleur Chaud", do tunisino Abdelattif Kechiche,  "Abus de Faiblaisse" de Catherine Breillat e "The Bastards", de Claire Denis - a seleção das cineastas permitirá reforçar a presença sempre débil de realizadoras entre os candidatos à Palma de Ouro.

É muito evidente que Cannes deve acolher o novo drama do iraniano Asghar Farhadi, que há dois anos ganhou o Leão de Ouro em Berlim e o Oscar de melhor filme estrangeiro com "Uma Separação". "Le Passé", o seu primeiro filme rodado fora do Irão, é protagonizado por Berenice Bejo e Tahar Rahim, é uma produção em língua francesa e foi rodado em Paris... - uma série de aspectos que favorecem a sua seleção para a competição do festival.

Os novos e mais criativos autores italianos têm contribuído para dinamizar a seleção competitiva de Cannes. Por isso é de esperar que o filme satírico de Paolo Sorrentino, "La Grande Bellezza", protagonizado por Toni Servillo ("Il Divo"), e o drama semi autobiográfico de Daniele Luchetti, "Storia Mitologica Della Mia Famiglia", surjam na seleção oficial.

Finalmente sobram incógnitas em torno do momento em que ficarão concluídos alguns títulos de autores consagrados que o festival desejaria ter na seleção oficial, tais como "Twelve Years a Slave" de Steve McQueen (premiado com a Câmara de Ouro de Cannes para um primeira obra com "Fome" em 2008), "Grace Of Monaco", de Olivier Dahan, com Nicole Kidman, "Venus in Fur" de Roman Polanski, e "Knight of Cups" de Terrence Malick (em 2011 ganhou a Palma de Ouro com "A Árvore da Vida").

A maior incógnita reside em torno de
"Nymphomaniac". O novo filme do dinamarquês Lars Von Trier seria uma presença obrigatória já que o realizador lançou particamente os seus filmes todos no festival. Mas o "filho predilecto" foi declarado persona non grata em 2011, por declarações controversas sobre Hitler, faltando saber como é que o festival gerirá esse castigo.

  • As possibilidades de Cannes 2013
    Only God Forgives - Red Band
    Descrito como um neo-western e passado em Banguecoque, esta obra exigiu bastante treino a Ryan Gosling, que teve de aprender Muay Thai, arte marcial muito presente no filme, e mesmo a lidar com espadas. Em "Only God Forgives", que conta também com Kristin Scott Thomas no elenco, estamos em ...
  • As possibilidades de Cannes 2013
    Behind the Candelabra
    Filme biográfico inspirado no livro "Behind the Candelabra: My Life With Liberace", escrito por Scott Thorson, aborda o relacionamento entre Liberace (Michael Douglas) e Thorson (Matt Damon), quando se especulou que o pianista tinha uma relação homossexual. Em 1982, Thorson processou Liberace ...
por
publicado 19:45 - 08 abril '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2013