Audiência dos Oscars sobe entre críticas negativas

Oscars 2012  

Audiência dos Oscars sobe entre críticas negativas

Apesar da concorrência de zombies e gigantes da NBA, a audiência televisiva dos Oscars subiu em relação ao ano passado. Ao mesmo tempo, a crítica norte-americana entretém-se a trucidar o anfitrião Billy Crystal.

Havia algum receio de que a audiência de televisão dos Oscars deste ano descesse em comparação com o ano anterior. Afinal, os filmes nomeados têm tido carreiras modestas nas salas e esse facto, normalmente, afecta o interesse do público pela transmissão da gala.

Para piorar a situação, os problemas laborais na NBA, que forçaram o começo tardio da época, também fizeram deslizar o All Star Game que, desta forma, caiu pela primeira vez no  mesmo fim de semana dos Oscars. A este domingo, já por si forte, juntou-se ainda a transmissão de um novo episódio da popular série "The Walking Dead".

Apesar da concorrência, foram 39,3 milhões os americanos que viram a vitória da produção francesa "O Artista", mais dois milhões do que em 2011. Um resultado que bate ainda os números de 2008, 2009 e 2006.

Mesmo com este bom desempenho, a crítica norte americana não tem sido meiga para o anfitrião, Billy Crystal. Tim Goodman do "The Hollywood Reporter" diz que Crystal foi "demasiado prudente, sem piada e datado".

Alessandra Stanley, do "New York Times" vai mais longe quando compara o desempenho do veterano ator a "um encontro da AARP [associação norte-americana para pessoas com mais de 50 anos]".

No "USA Today", Robert Bianco considera que Crystal esteve "bem, mas faltou-lhe brilho".

Corrosiva na sua apreciação no "Chigaco Sun-Times" a crítica de televisão Lori Rackl confessa que "Billy Crystal como anfitrião dos Oscars fez-me desejar que James Franco voltasse". Apesar de referir na linha seguinte que até isso seria um exagero, Rackl considera o espectáculo "medíocre".

Mary McNamara do "Los Angeles Times" é um pouco mais comedida e diz "mesmo que Crystal e o seu humor de bar mitzvah pareçam um pouco datados e, por vezes, estranhamente racistas(...) ele teve mão segura no leme da emissão(...)".

A excepção às críticas negativas vem de Pete Hammond do "Deadline Hollywood" que refere que "a crítica adora bater na cerimónia de entrega dos Oscars". Acerca do anfitrião acrescenta que "Billy falhou em algumas piadas, mas acertou uns quantos bons golpes e a sequência inicial conquistou a sala".

por
publicado 23:54 - 27 fevereiro '12

Recomendamos: Veja mais Artigos de Oscars 2012