Berlinale recupera talentos e charme

Mais CinemaFestival  

Berlinale recupera talentos e charme

Berlim estende o tapete vermelho para a 63ª edição. Destacam-se filmes de River Phoenix, Bille August, Wong Kar-wai, Gus van Sant, Steven Soderbergh e Jafar Panahi.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Berlinale recupera talentos e charme
Comboio Noturno para Lisboa A vida de Raimund Gregorius é muito bem organizada, mas monótona e previsível. 0 Professor de Latim, de 57 anos, vive num minúsculo apartamento em Berna, vai a pé todos os dias para a escola onde ensina uma disciplina que interessa pouco à maioria dos alunos, e, à noite, incapaz de adormecer, joga xadrez consigo próprio. O dia que vai mudar a sua vida, começa como um outro dia qualquer. Quando ...
Artigo recomendado:
Berlinale recupera talentos e charme
Berlinale
Quatro filmes portugueses em Berlim Salomé Lamas, João Viana e Pedro Pinho marcam presença em diversas secções da 63ª Berlinale.

O festival de cinema de Berlim abre a temporada dos grandes festivais europeus com um desfile de estrelas onde sobressaem as presenças de três divas francesas.

Catherine Deneuve, interpretando uma mulher madura em fuga ("Elle s'en va", de Emmanuelle Bercot ), Juliette Binoche como a escritora Camille Claudel internada num centro psiquiátrico ("Camille Claudel, 1915" de Bruno Dumont) e, Isabelle Hupert, na opressão de um convento ("La Religieuse", de Guillaume Nicloux), são as atrizes e os papéis de "mulheres fortes" que podem marcar esta Berlinale, na definição do diretor Dieter Kosslick.

Além das três divas, pela passadeira vermelha, vão passar os atores Matt Damon, Jude Law, Nicolas Cage, Jeremy Irons, Paul Rudd, o cantor-ator Shia LaBeouf e Ethan Hawke, novamente acompanhado de Julie Delpy.

A seleção oficial inclui 19 filmes em competição pelo urso de Ouro, destacando-se os novos filmes de Gus Van Sant, Steven Soderbergh, do iraniano Jafar Panahi e do bósnio Danis Tanovic.

Em "Promised Land", Van Sant, dirigiu Matt Damon e Frances McDormand num filme que conta a história de uma comunidade em conflito com um consórcio energético; Danis Tanovic ("Terra de Ninguém", Oscar de melhor filme estrangeiro) foca um coletivo de deserdados em "An Episode in the Life of an Iron Picker"; enquanto que Soderbergh ressurge com o thriller "Side Effects", interpretado por Jude Law.

Jafar Panahi volta com "Parde (Closed Curtain)", dois anos depois de ter sido membro à revelia do júri do festival, por estar detido em Teerão. Neste período o festival não esqueceu o cineasta. Dieter Kosslick elogia a sua capacidade de fazer cinema apesar de estar interdito de filmar pelo regime iraniano.

Wong Kar-way, filme póstumo de River Phoenix e Bille August

O festival será inaugurado com "The Grandmaster", de Wong Kar-way, com Tony Leung e Zhang Zhiyi, numa sessão fora da competição. O cineasta chinês preside o júri que vai atribuir o Urso de Ouro e ressurge na Berlinale com um filme onde conta a história do mestre de artes marciais que treinou Bruce Lee.

Igualmente fora de competição será exibido o novo episódio romântico protagonizado por Ethan Hawke e Julie Delpy, em "Before Midnight" de Richard Linklater. Depois de Viena (“Antes do Amanhecer”) e Paris (“Antes do Anoitecer”) sucede-se um terceiro encontro na Grécia.

O Festival de Berlim recordará River Phoenix, exibindo, numa sessão especial, "Dark Blood" o último filme do ator. "Dark Blood", do holandês George Sluizer, é lançado somente quase 20 anos após a morte de Phoenix. Sluizer (autor da adaptação de "A Jangada de Pedra", de José Saramago), estava a concluir a rodagem do filme, em 1993, quando River Phoenix, morreu com uma overdose aos 23 anos de idade. Sluizer guardou o material e concluiu o filme no ano passado.

É de assinalar ainda o regresso do dinamarquês Bille August a um grande festival - o cineasta já ganhou duas Palmas de Ouro em Cannes, mas nos últimos anos desperdiçou esse prestígio... August vai apresentar em ante-estreia mundial "Comboio Noturno Para Lisboa", filme rodado parcialmente na capital portuguesa, com Jeremy Irons e Charlotte Rampling liderando um elenco onde estão os portugueses Nicolau Breyner e Beatriz Batarda. 

Nesta co-produção entre a Dinamarca, a Suíça e Portugal, a presença portuguesa foi assegurada pela Cinemate de Paulo Trancoso.

O cinema nacional estará representado com 4 filmes  de João Viana, Pedro Pinho e Salomé Lamas, que serão exibidos em secções paralelas (ver artigo recomendado).

O festival de Berlim decorrerá entre 7 e 17 de fevereiro.


Seleção oficial 63º Festival de cinema de Berlim
No total, 19 dos 24 filmes da seleção oficial competem pelo Urso de Ouro. São produções da Áustria, Bélgica, Bósnia e Herzegovina, Canadá, Chile, Alemanha, França, Grécia, Hong Kong/China, Irão, Cazaquistão, Holanda, Polónia, Portugal, República da Coreia, Romênia, Rússia, Eslovénia, Espanha, África do Sul, Suíça e EUA. O Chile é o único país latino-americano da competição, com "Glória", de Sebastian Lelio.

COMPETIÇÃO OFICIAL


Closed Curtain, de Jafar Panahi e Kambozia Partovi (Irão)
Promised Land, de Gus Van Sant (EUA)
Side Effects, de Steven Soderbergh (EUA)
Camille Claudel 1915, de Bruno Dumont (França)
Elle s'en Va, de Emmanuelle Bercot (França)
A Long and Happy Life, de Boris Khlebnikov (Rússia)
Prince Avalanche, de David Gordon Green (EUA)
Harmony Lessons, de Emir Baigazin (Cazaquistão/Alemanha)
Vic + Flo Saw a Bear, de Denis Côté (Canadá)
In the Name of, de Malgoska Szumowska (Polónia)
An Episode in the Life of an Iron Picker, de Danis Tanovic (Bósnia/Herzegovina/França)
Gloria, de Sebastián Lelio (Chile/Espanha)
Gold, de Thomas Arslan (Alemanha)
La Religieuse, de Guillaume Nicloux (Bélgica)
Layla Fourie, de Pia Marais (Alemanha/África do Sul/Holanda)
Nobody’s Daughter Haewon, de Hong Sang soo (Coréia do Sul)
Paradise: Hope, de Ulrich Seidl (Áustria/França/Alemanha)
Child’s Pose, de Calin Peter Netzer (Roménia)

FORA DE COMPETIÇÃO


The Grandmaster, de Wong Kar-wai (Hong Kong/China) – Filme de Abertura
Comboio Noturno Para Lisboa, de Bille August (Alemanha/Suíça/Portugal)
Before Midnight, de Richard Linklater (EUA/Grécia)
Dark Blood, de George Sluizer (Holanda)
The Croods, de Kirk De Micco (EUA)

por
publicado 15:55 - 05 fevereiro '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais CinemaFestival