CODA premiado nos SAG Awards

Cinema Norte-americano  

"CODA" premiado nos SAG Awards

"O Poder do Cão" e "Belfast", favoritos dos Óscares, saíram de mãos a abanar numa noite onde também foram premiados Will Smith e Jessica Chastain.

O drama "CODA", sobre o único membro com audição numa família de surdos, ganhou o prémio da Screen Actors Guild para o melhor elenco num filme, aumentando as suas hipóteses de sucesso na cerimónia dos Óscares do próximo mês. O remake do filme francês "A Familia Bélier", segue a história de uma menina numa pequena cidade que persegue o sonho de se tornar cantora. Realizado por Sian Heder, inclui os actores surdos Marlee Matlin e Troy Kotsur que interpretam os pais da jovem, papel que coube a Emilia Jones. Kotsur também ganhou o prémio de melhor actor secundário.

Os prémios SAG, escolhidos pelos membros da associação profissional de atores SAG-AFTRA, são observados de perto porque os actores formam a maior comunidade votante na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que organiza os Óscares.

Os vencedores dos Óscares deste ano serão anunciados a 27 de março.

A guerra na Ucrânia foi tema recorrente durante toda a noite. No início da cerimónia, Leslie Odom Jr. enviou "os nossos pensamentos, orações e esperanças para a iminência da paz".

Jessica Chastain ganhou o prémio de melhor actriz de cinema por "Os Olhos de Tammy Faye", onde encarna a excêntrica televangelista americana, e Will Smith foi distinguido do lado masculino por "King Richard" que narra a ascensão de Serena e Venus Williams desde as duras ruas do bairro de Compton, em Los Angeles, para os mais prestigiados campos de ténis mundiais.

As duas longas-metragens apontadas como favoritas ao Oscar, "O Poder do Cão" e "Belfast", deixaram a gala dos SAG de mãos vazias.

Entre as honras televisivas da noite, "Ted Lasso", ganhou o prémio para a melhor comédia, e o elenco de "Sucessão" ganhou do lado das séries dramáticas. O protagonista, Brian Cox, usou o seu discurso de aceitação para abordar a guerra, elogiando o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, antigo ator cómico, e oferecendo apoio aos actores russos, impedidos de falar.

Nos dramas, os sul coreanos Lee Jung-jae e Jung Ho-yeon ganharam, respetivamente, os prémios para melhor ator e melhor atriz, e agradeceram a Hollywood por lhes "abrir a porta".

Helen Mirren foi homenageada com o prémio de carreira.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Norte-americano