Cine Côa contesta festivais simultâneos no Douro

Festival  

Cine Côa contesta festivais simultâneos no Douro

O Douro Film Harvest e o Cine Côa decorrem no mesmo fim-de-semana. A coincidência dos eventos não é pacifica.

O diretor artístico do Festival de Cinema Cine Côa considerou "lamentável" que os dois eventos cinematográficos da região do Douro decorram na mesma data até ao próximo fim de semana. João Trabulo referia-se às datas em que decorrem os festivais de cinema Cine Côa (Vila Nova de Foz Côa) e o Douro Film Harvest (DFH).

O DFH arrancou na quarta-feira, o Cine Côa na quinta-feira e ambos terminam no domingo.

"Eles deslocaram a data do festival para cima da nossa, coisa que no ano passado não aconteceu, e nós mantivemos a data fixa, ou seja, para o último fim de semana de setembro ", afirma João Trabulo, do Cine Côa.

O organizador disse ainda ser um "pouco lamentável" a alteração de datas, já que o DFH acontecia no início de setembro.

"Nós agendámos a nossa iniciativa para final de setembro, para que as pessoas pudessem visitar os dois festivais e circular livremente. Assim há uma escolha que poderá ser difícil para algumas pessoas, o que para fins turísticos e estratégicos não me parece interessante", acrescentou o responsável.

António Martinho, presidente da Turismo do Douro, sustenta que a organização do DFH "não sabia que o Cine Côa" se ia realizar precisamente nesta data e explicou que o reajustamento para esta altura teve como objetivo desligar o festival do Douro dos de Veneza e San Sebastián (Espanha).

O Festival Internacional de Cinema de Vila Nova de Foz Côa contará com as presenças do realizador francês Benot Jacqout e do argentino Lisandro Alonso, a quem serão dedicados dois ciclos.

A segunda edição do festival abrirá com "Adeus, Minha Raínha", de Benoit Jacquot, que abriu este ano o Festival de Cinema de Berlim.

O realizador argentino Lisandro Alonso, cujo cinema permanece inédito no circuito comercial português, estará em Portugal com três filmes: "La Libertad" (2001), "Los Muertos" (2004) e "Liverpool" (2008).

Douro Film Harvest (DFH) presta homenagem a Bo Derek

A quarta edição do Douro Film Harvest (DFH) tem como destaque as homenagens ao escritor brasileiro Jorge Amado e à atriz Bo Derek, a qual vai também participar numa vindima da região demarcada.

O DFH assumiu-se como o primeiro evento de cinema descentralizado do mundo. Este ano o festival tem como palco os concelhos de Alijó, Armamar, Régua e Porto.

Organizado e produzido pela Expanding World, em parceria com a Entidade Regional Turismo do Douro, o festival conta com um orçamento de 200 mil euros, metade da edição anterior.

A cerimónia de encerramento decorre sábado, no Porto, com uma cerimónia de homenagem à convidada especial deste ano, a norte americana Bo Derek.

Antes disso a atriz vai passar pelo Douro e participar numa das vindimas que, por estes dias, decorrem na região duriense. Bo Derek, que nasceu em 1956, ficou conhecida pelos filmes "10, Uma Mulher de Sonho" ou "Bolero".

Esta edição vai ainda homenagear o escritor brasileiro Jorge Amado, autor de livros como "Gabriela, Cravo e Canela" ou "Tieta do Agreste", através de uma tertúlia e a projeção de filmes. Em 2012 assinalam-se os cem anos do nascimento deste que foi um dos autores brasileiros mais traduzidos e que faleceu em 2001.

Esta edição é marcada por uma maior aposta na temática vinhos e gastronomia, o que se traduz na abertura de duas novas secções em competição, a "Wine Films" e a "Food Films".

Outra novidade é o concurso "Curtas da Casa", uma competição de curtas-metragens com um prémio de 3.000 euros, que pretende estimular a produção e a exibição de filmes relacionados com o rio e o Douro Vinhateiro.

O objetivo é reforçar o papel do certame como plataforma de divulgação e de encontros entre cineastas.

Durante os cinco dias, serão exibidos 23 filmes, dos quais vinte apresentam-se como estreias nacionais e um como estreia mundial.

A organização estabeleceu ainda uma parceria com o grupo Leya, que através do projeto "Leya -- Cultura on the Road" vai trazer ao Douro escritores nacionais que participarão em tertúlias e conferências e apresentação de livros. Marcam presença Moita Flores, Tiago Rebelo, Inês Pedrosa ou Ana Sofia Fonseca.

No âmbito do Ano do Brasil em Portugal, do qual o DFH é um dos eventos oficiais, o dia de domingo vai ser exclusivamente dedicado à projeção de filmes brasileiros.

Em edições anteriores o festival trouxe ao Douro Milos Formam, Andie MacDowell, Kyle Eastwood, Cacá Diegues e Sophia Loren.





por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival