Cineastas iranianas presas há uma semana foram libertadas sob fiança

Cinema Asiático  

Cineastas iranianas presas há uma semana foram libertadas sob fiança

As duas documentaristas foram detidas a 7 de maio, em Teerão.

Duas realizadoras iranianas detidas há mais de uma semana por Teerão, foram libertados sob fiança, anunciou quarta-feira a Bidarzani, uma organização de defesa dos direitos da mulher.

Mina Keshavarz e Firoozeh Khosrovani foram presas a 7 de Maio. Desde então, têm estado detidas na prisão de Evin, na capital, e foram libertados na terça-feira à noite, depois de as suas famílias terem pago a fiança, disse a ONG.

Meios de comunicação em persa sediados fora do Irão confirmaram a libertação.

Um grupo de cineastas e actores iranianos, incluindo os premiados Jafar Panahi e Mohammad Rasoulof, tinham denunciado numa carta aberta no domingo a prisão de vários dos seus colegas.

As detenções surgem numa altura em prosseguem os protestos no país por causa do aumento dos preços dos bens básicos, incluindo o pão, devido à elevada inflação causada, em parte, pelas sanções económicas impostas desde 2018 pelos EUA.

Segundo activistas sediados no estrangeiro, os protestos tiveram um fim sangrento, com várias mortes e centenas de detenções.

Pelo menos cinco jornalistas e cineastas, todos mulheres, foram detidos recentemente, incluindo a fotojornalista Reihane Taravati, diz o Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ), sediado nos EUA. A mesma fonte diz que outras duas detidas são as cineastas Parisa Anvari e Shilan Saadi.

"Os contínuos esforços do Irão para silenciar vozes independentes levaram à prisão de cinco mulheres jornalistas", lamentou Sherif Mansour, funcionária do CPJ. "As autoridades iranianas devem compreender que não podem esconder as difíceis realidades do país através da prisão de jornalistas".

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Asiático