Desde Alice Springs até ao oceano Índico

Veneza, dia 2: TRACKS, de John Curran  

Desde Alice Springs até ao oceano Índico

Uma viagem extremamente árdua mas profundamente compensadora é dramatizada em cinema a partir de uma experiência verídica.

A notável jornada que Robyn Davidson realizou, em 1977, cruzando 3000 quilómetros do deserto australiano, ligando Alice Springs ao Oceano Índico, com quatro camelos e uma cadela da raça labrador, ganhou dimensão cinematográfica num filme realizado por John Curran.

O livro foi publicado pela primeira vez em 1980, tornando-se num clássico moderno da literatura de viagem e uma obra de não-ficção seminal para os australianos. O relato de Robyn Davidson foi publicado originalmente na National Geographic, que financiou os custos da viagem.

Davidson vendeu os direitos mas pretendeu realizar uma jornada pessoal, procurando contrariar o lugar que lhe estava destinado na sociedade e na família. A viagem foi fruto desse tempo e o filme procura valorizar a odisseia de uma mulher solitária durante o auge dos movimentos feministas.

Trata-se de um drama inspirador e meditativo, visualmente majestoso. Este drama biográfico também é um retrato de uma mulher corajosa, sendo um dos papéis mais marcantes desempenhados pela jovem Mia Wasikowska, a Alice de Tim Burton, que regressou ao seu pais de origem, onde não filmava desde os 17 anos.

O projeto foi desenvolvido durante três décadas por diversos produtores e realizadores e chegou a ter Julia Roberts associada ao papel principal. A Disney teve os direitos de adaptação mas nunca produziu o filme.

"Tracks" ilustra uma viagem que já não pode ser feita desta forma nos nossos dias. Mas é um filme cativante para muitos espectadores que desejam desligar de uma sociedade cada esta cada vez mais ligada tecnologicamente. Em parte, esse apelo explica o entusiasmo com que foi recebido na competição do festival de Veneza.

por
publicado 01:07 - 31 agosto '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Veneza 2013