Dez razões para não perder a noite dos Oscars

Oscar 2015  

Dez razões para não perder a noite dos Oscars

A estreia de Neil Patrick Harris como anfitrião não é o único ponto de interesse da edição deste ano dos prémios da academia. Fique a conhecer dez boas razões para assistir aos Oscars, no próximo domingo.

Em cada ano, a noite dos Oscars traz a sua quota parte de momentos a não perder e personalidades sobre quem se vai falar. Aqui estão as 10 razões para assistir este domingo à 87ª cerimónia de entrega dos Oscars.

1. O novo anfitrião 

Todos os olhos estarão postos sobre o ator Neil Patrick Harris tem a difícil tarefa de suceder à popular Ellen DeGeneres. Não o suficiente para impressionar o ator 41 anos que canta, dança, faz truques de magia e já provou de que é capaz em cerimónias dos Tonys, os prémios do teatro americano. Conseguirá ele fazer melhor do que Ellen DeGeneres e a selfie mais twittada do ano?

2. A invasão britânica

Os "Brits" estarão fortemente representado no domingo. Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo) e Benedict Cumberbatch ("O Jogo da Imitação") são candidatos a melhor ator; Felicity Jones (A Teoria de Tudo) e Rosamund Pike (Em Parte Incerta) para melhor actriz, seguidos por Keira Knightley, que disputa a estatueta de melhor atriz Secundária (O Jogo da Imitação).

3. O desfile de moda

A passadeira vermelha dos Oscars é tão popular como as passarelas de Paris, ou Nova Iorque. Quem vai usar o quê? Qual será o acessório que vai voar? E que irá inventar a delirante Lady Gaga, para se apresentar no palco do Dolby Theatre?

4. As canções

O rapper Common e John Legend são favoritos ao Oscar de Melhor Canção com "Glory", que combina inspiração hip-hop e gospel e faz parte da banda sonora original de "Selma". Vão estar a cantar no palco, assim como Adam Levine e a banda Maroon 5.

5. Moore e mais Moore


Será 2015 finalmente o ano de consagração para a bela Julianne Moore? Aos 54 anos de idade, depois de cinco nomeações, a ruiva parte como favorita na categoria de melhor atriz pela sua interpretação de uma doente de Alzheimer em "O Meu Nome É Alice".

6. Uma questão de cor e género

Marlon Brando ofereceu o momento mais memorável dos Oscars de 1973 ao recusar receber a sua estatueta por "O Padrinho". No seu lugar, enviou uma nativa americana ao palco para protestar contra o tratamento dos índios por Hollywood. Será que vai haver reações este ano sobre a falta de atores negros entre os indicados? Ao anunciar as nomeações, muitas vozes já foram fizeram ouvira condenar uma seleção de finalistas demasiado branca e demasiado masculina.

7. Snowden superstar?

Edward Snowden, o informador que revelou a extensão do programa de vigilância do governo dos Estados Unidos poder ser um protagonista inesperado no próximo domingo: é ele a personagem principal de "Citizenfour" bem à frente na corrida para o Oscar de melhor documentário. Se vencer, a cineasta Laura Poitras poderá revelar um poderoso discurso.

8. Os franceses em Hollywood

Marion Cotillard corren para o segundo Oscar com a sua interpretação em "Dois Dias, Uma Noite", a mais recente obra dos irmãos Dardenne. Em 2008, já foi coroada melhor atriz por "La Vie en Rose", de Olivier Dahan, no qual ela interpretou Edith Piaf.

Outro francês que poderá ganhar o ouro no domingo: o compositor Alexandre Desplat foi duplamente nomeado para a banda sonora de "Grand Budapest Hotel" e "O Jogo da Imitação".

9. Viva el México!

Se Alejandro Iñarritu, diretor e argumentista de "Birdman" ganhar o Oscar de melhor filme e melhor realizador, será o segundo ano em que veremos realizadores mexicanos subir ao palco nos prémios da Academia. No ano passado, Alfonso Cuaron foi eleito o melhor realizador por "Gravidade".

Outro mexicano nomeado este ano é o diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, também por "Birdman".

10. Tributo

Como todos os anos, Hollywood vai honrar as suas estrelas ausentes. O ano de 2014 viu partir Robin Williams, que cometeu suicídio em agosto, Philip Seymour Hoffman morto com uma overdose de drogas em fevereiro, o realizador britânico Richard Attenborough, Lauren Bacall, James Garner, Bob Hoskins e Shirley Temple.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Oscar 2015