Nomadland - Sobreviver na América ganha noite dos Óscares
Regina King: o discurso de abertura dos Óscares 2021

Oscar 2021  

"Nomadland - Sobreviver na América" ganha noite dos Óscares

O filme de Chloé Zhao triunfou em três categorias: melhor filme, melhor realização e melhor atriz.

Artigo recomendado:
Nomadland - Sobreviver na América ganha noite dos Óscares
Oscar 2021
EUA: mulheres e minorias étnicas mais bem representadas no cinema em 2020 A representatividade de mulheres e minorias melhorou de acordo com um estudo anual da UCLA.

Steven Soderbergh tinha prometido que os Óscares deste ano decorreriam como se de um filme se tratasse. De facto, a gala arrancou com Regina King a atravessar a Union Station em passo enérgico, de estatueta na mão, acompanhada por um genérico que anunciava o elenco e os realizadores da noite. Mas a ideia não chegou longe. O curtíssimo monólogo inicial depressa deu lugar a um relato de detalhes do início de carreira dos nomeados a melhor argumento original e marcou o princípio da rotina a que, pelos vistos, a academia não consegue fugir. Leitura do rol de finalistas, anúncio do vencedor e discurso, este ano, aparentemente, sem limites de tempo.

E, no entanto, os Óscares tiveram de se moldar aos tempos que correm. As pessoas divididas por mesas, em vez da habitual e enorme plateia no Dolby Theatre, lembraram o visual mais descontraído dos Globos de Ouro e deu um certo intimismo à cerimónia sublinhado pela presença de Questlove como DJ de serviço. Por outro lado, a ausência de muitos nomeados, divididos por várias partes do mundo, devido aos constrangimentos da COVID-19, criou alguma estranheza como no caso do Oscar entregue aos dois argumentistas de "O Pai" estando um em Paris e o outro em Londres.

Apesar do desapontamento pela falta de ideias e o minimalismo do espectáculo, ocasionalmente viram-se relances do que poderia ser um melhor futuro para os Óscares. Como o bom segmento em que Bong Joon-ho apresentou o Oscar de melhor realização.

Na distribuição das estatuetas, "Nomadland - Sobreviver na América" acabou a noite com três das mais importantes: melhor Filme, melhor realização para Chloé Zhao, e melhor atriz entregue a Frances McDormand.

Anthony Hopkins ganhou o Oscar de melhor ator pelo papel em "O Pai", filme que venceu ainda na categoria de melhor argumento adaptado, mas foi dormir cedo. Como o alinhamento de entrega foi diferente, deixando esta categoria para o fim, os Óscares 2021 terminaram a seco. 

Antes, foram entregues os prémios para os secundários foram a Daniel Kaluuya (Judas and the Black Messiah) e Youn Yuh-jung, a favorita, por "Minari".

Outro triunfo esperado foi o de "Druk - Mais Uma Rodada", melhor filme internacional.

"Mank", que partia com dez nomeações, teve de se contentar com apenas um Oscar, o de melhor direção de fotografia.

Vencedores dos Óscares 2021

Melhor filme: Nomadland - Sobreviver na América

Melhor realização: Chloé Zhao (Nomadland - Sobreviver na América)

Melhor ator: Anthony Hopkins (O Pai)

Melhor atriz: Frances McDormand (Nomadland - Sobreviver na América)

Melhor ator secundário: Daniel Kaluuya (Judas and the Black Messiah)

Melhor atriz secundária: Youn Yuh-jung (Minari)

Melhor argumento adaptado: Florian Zeller e Christopher Hampton (O Pai)

Melhor argumento original: Emerald Fennell (Uma Miúda com Potencial)

Melhor direção de fotografia: Erik Messerschmidt (Mank)

Melhor filme internacional: Druk - Mais Uma Rodada (Dinamarca)

Melhor documentário: My Octopus Teacher (Pippa Ehrlich, James Reed e Craig Foster)

Melhor documentário de curta-metragem: Colette (Anthony Giacchino e Alice Doyard)

Melhor curta-metragem: Two Distant Strangers (Travon Free e Martin Desmond Roe)

Melhor curta-metragem de animação: If Anything Happens I Love You (Will McCormack e Michael Govier)

Melhor filme de animação: Soul - Uma aventura com Alma

Melhor montagem: Sound of Metal (Mikkel E. G. Nielsen)

Melhor Cenografia: Mank (Donald Graham Burt, Jan Pascale)

Melhor maquilhagem e cabelo: Ma Rainey: A Mãe do Blues (Sergio Lopez-Rivera, Mia Neal e Jamika Wilson)

Melhor guarda-roupa: Ma Rainey: A Mãe do Blues (Ann Roth)

Melhor banda sonora original: Soul - Uma aventura com Alma (Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste)

Melhor canção: Fight For You (H.E.R., Dernst Emile II, Tiara Thomas) - Judas and the Black Messiah

Melhor som: Sound of Metal (Nicolas Becker, Jaime Baksht, Michelle Couttolenc, Carlos Cortés e Phillip Bladh)

Melhores efeitos visuais: Tenet (Andrew Jackson, David Lee, Andrew Lockley e Scott Fisher)

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Oscar 2021