Fest 2022 em Espinho com Gael Garcia Bernal e Gaspar Noé

Festival  

Fest 2022 em Espinho com Gael Garcia Bernal e Gaspar Noé

O festival de novos cinemas e novos realizadores lança também a atenção às alterações climáticas, tradições, modernidade e, claro, à guerra na Ucrânia.

Gael Garcia Bernal é a mais recente confirmação no FEST – Festival Novos Realizadores | Novos Cinema que decorre em Espinho entre 20 e 27 de junho. O ator mexicano de 47 anos que estudou em Londres e esteve em filmes importantes como “Amor Cão”, “E a Tua Mãe Também”, “Diários de Che Guevara”, ou a série “Mozart in the Jungle” terá a cargo uma das masterclasses do evento.

Outro nome de proa do cinema atual, Gaspar Noé, autor de Irréversible" (2002), protagonizado por Monica Belluci e Vincent Cassel, e do recente Vortex" (2021), sobre um casal de idosos em fase de demência, protagonizado por Dario Argento e Françoise Lebrun,
também estará em Espinho como orador. Entre 21 e 26, fará parte  do grupo de profissionais da indústria cinematográfica que vão dinamizar o FEST PRO 2022 - uma plataforma de networking para troca de conhecimentos, ideias e estabelecimento de futuras colaborações.

O Centro Multimeios, o Casino de Espinho e o espaço outdoor Village concentram uma programação eclética, do cinema português às primeiras obras, passando pelo cinema dos parceiros ucranianos do Festival de Odessa, Ucrânia.

Na seleção das primeiras longas-metragens a competir pelo Lince de Ouro da 18ª edição do FEST destaque para "Utama", do estreante boliviano Alejandro Loayza Grisi, vencedor do World Cinema Award no Festival de Sundance em janeiro, e de quatro prémios no Festival de Málaga. Cruza arte e ecologia no retrato de um casal de idosos Quechua, do planalto boliviano, obrigado a confrontar uma seca catastrófica causada pelo degelo de um glaciar nos Andes.

Dos Andes para os Alpes, outra obra de realce é "A Piece of Sky", do suíço Michael Kosh, obra que surpreendeu no último Festival de Berlim onde conquistou uma menção honrosa na competição oficial.

Ainda nas montanhas, mas nas áreas rurais do Vietname, chega um dos documentários mais louvados do momento, "Children of the Mist", da jovem cineasta Ha Le Diem, vencedor de três prémios no IDFA e Cinema du Réel, e que apresenta a uma rapariga perdida no limbo entre o progresso e a tradição.

A competição conta, também, com a presença de "Immaculate" dos romenos Monica Stan & George Chiper-Lillemark, uma visão claustrofóbica de uma rapariga encarcerada num centro de desintoxicação, vencedor de três prémios na última edição do Festival de Veneza; o filme do canadiano Philippe Grégoire, "Noise of Engines", que revela as desventuras de um jovem segurança alfandegário perpetuamente em conflito com a moral local; e a obra da cineasta argentina Agustina San Martín, "Matar a la Bestia", uma das experiências mais ousadas do último Festival de San Sebastian e vencedora de um prémio em Mar del Plata.

Na programação do Grande Prémio Nacional regressam Guilherme Daniel com "Os Abismos da Alma"; Débora Gonçalves com "A Felicidade e Coisas Mórbidas"; e Gonçalo Almeida com "A Rapariga de Saturno", entre outros. O alinhamento conta ainda com a estreia de "The Event", corealizado pelo espinhense Hugo Sousa.

Inevitavelmente, a programação reflete o momento conturbado que a Europa atravessa. Em colaboração com o Festival de Odessa, a secção Be Kind Rewind é dedicada aos vencedores das últimas edições deste festival do leste europeu. Conta com longas-metragens como "Stop-Zemlya" de Kateryna Hornostay, ou o impressionante "Atlantis" de Valentyn Vasianovych, para além de uma sessão de curtas-metragens de alguns dos maiores novos nomes do cinema da região.

Seleção oficial do FEST – Festival Novos Realizadores | Novos Cinema 2022

LINCE DE OURO

Utama de Alejandro Loayza Grisi (Bolivia/Uruguai/França)
Matar a la Bestia de Agustina San Martín (Argentina/Brasil/Chile)
A piece of Sky de Michael Koch (Suíça/Alemanha)
The Noise of Engines de Philippe Grégoire (Canadá)
Immaculate de Monica Stan & George Chiper-Lillemark (Romenia)
Children of the Mist de Ha Le Diem (Vietname)

GRANDE PRÉMIO NACIONAL

Quando a Terra Sangra de João Vicente Morgado (Portugal)
Vórtice de Guilherme Branquinho (Portugal)
Femogtyve de João Moreira (Portugal)
Kumaru de Bruno Maravilha, Patrícia Santos & Tânia Teixeira (Portugal)
The Event de Frank Mosley & Hugo De Sousa (EUA/Portugal)
Mansa de Mariana Bártolo (Portugal)
Duas Irmãs de LoTA Gandra (Portugal)
Block de João Vaz Oliveira (Portugal)
They made me believe I was daddy's girl when I was in fact momma's boy de Sol Marques Duarte (Portugal)
Ultra de João Lourenço (Portugal)
Da sala ao cinema à rua de Leonardo Miranda (Portugal)
Os Abismos da Alma de Guilherme Daniel (Portugal)
A Felicidade e Coisas Mórbidas de Débora Gonçalves (Portugal)
Mais que Sangue de Sibelle Lobo (Portugal)
A Rapariga de Saturno de Gonçalo Almeida (Portugal)
Kafka de Tiago Iúri (Portugal)
Farol de Henrique Brazão (Portugal)
Nha Sunhu de José Magro (Portugal)

BE KIND REWIND (extensão do Festival de Cinema de Odessa)

Homeward de Nariman Aliev (Ucrânia)
Blindfold de Taras Dron (Ucrânia)
Stop-Zemlya de Kateryna Hornostay (Ucrânia)
Atlantis de Valentyn Vasianovych (Ucrânia)
My Thoughts Are Silent de Antonio Lukich (Ucrânia)
Dad’s Sneakers de Olga Zhurba (Ucrânia)
Leopolis night de Nikon Romanchenko (Ucrânia)
Two people de Vladyslav Vitriv (Ucrânia)
The Secret, the Girl and the Boy de Oksana Kazymіna (Ucrânia)
In Our Synagogue de Ivan Orlenko (Ucrânia)

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival