Filme romeno ganha Urso de Ouro

Festival  

Filme romeno ganha Urso de Ouro

Festival de Berlim consagra "Child's Pose", um drama contemporâneo sobre a relação entre a mãe e um filho.

O filme "Child's Pose", do cineasta romeno Calin Peter Netzer, foi o vencedor do Urso de Ouro do Festival de Cinema de Berlim deste ano, anunciou hoje a organização.

"Child's Pose", de Calin Peter Netzer, dramatiza a história de uma mãe da burguesia de Bucareste que está disposta a tudo para evitar que o seu filho seja condenado a uma pena de prisão por ter morto um adolescente num atropelamento.

Os prémios foram bastante divididos e apenas "An Episode in the Life of an Iron Picker, o drama documental do bósnio Danis Tanovic, recebeu uma dupla distinção: grande prémio do júri e o Urso de Prata para melhor actor, atribuído a Nazif Mujic, um ator não-profissional. O filme, que aborda as dificuldades das comunidades de étnia cigana na Romémia, é inspirado na situação do próprio ator.

O prémio de melhor actriz foi atribuído a Paulina García pelo desempenho de uma divorciada chilena que procura reconstruir a sua vida."Gloria", do chileno Sebastián Lelio.

O festival de Berlim exibiu uma série de filmes com temática política e social. Na seleção oficial sobressaiu uma proposta mais descontraída, a comédia "Prince Avalanche", sobre dois colegas de trabalho que atravessam crises pessoais. O norte-americano David Gordon Green recebeu o prémio de realização.

As duas distinções artísticas e técnicas do palmarés foram para "Vic & Flo Ont vu un Ours", do canadiano Denis Côté (recebeu o prémio Alfred Bauer para o filme artisticamente mais inovador que em 2012 foi atribuído "Tabu" de Miguel Gomes) e "Harmony Lessons", do cazaque Emir Balgazin, que ganhou o Urso para a melhor contribuição artística, pela fotografia de Aziz Zhambakiyev.

Finalmente, "Closed Curtain", o filme que o iraniano Jafar Panahi rodou em prisão domiciliária, em parceria com Kambozia Partovi, recebeu o prémio de melhor argumento original.

O júri presidido por Won Kar-way atribuiu duas menções especiais a "Layla Fourie", de Pia Marais, e a "Terra Prometida", de Gus van Sant.

O único filme português a concurso na selecção oficial, a curta-metragem "Tabatô", de João Viana, não teve nenhuma menção no palmarés oficial das curtas-metragens.

No entanto, o realizador nascido em Angola há 46 anos, recebeu uma menção especial na categoria de melhor primeiro filme, transversal a todas as secções do festival (competitivas ou não) pela longa "A Batalha de Tabatô", apresentada na secção Forum.

O 63º Festival de Cinema de Berlim, contou com quatro filmes portugueses, um dos quais em competição. Além de "A Batalha de Tabatô", e da curta-metragem "Tabatô", ambos rodados na Guiné-Bissau, foram exibidos "Terra de Ninguém", de Salomé Lamas, "Um fim do Mundo", de Pedro Pinho e a coprodução internacional, rodada em Lisboa, "Comboio noturno para Lisboa", de Bille August.

Palmarés 63º Festival de Berlim

Urso de Ouro: "Child's Pose", de Calin Peter Netzer

Menções especiais: "Layla Fourie", de Pia Marais, e "Terra Prometida", de Gus van Sant

Grande Prémio do Júri: "An Episode in the Life of an Iron Picker", de Danis Tanovic

Melhor realizador: David Gordon Green, "Prince Avalanche"

Melhor atriz: Paulina García, "Gloria"

Melhor ator: Nazif Mujic, "An Episode in the Life of an Iron Picker"

Melhor argumento: Jafar Panahi e Kambozia Partovi, "Closed Curtain"

Melhor contribuição artística: Aziz Zhambakiyev, pela fotografia de "Harmony Lessons"

Prémio Alfred Bauer: "Vic et Flo ont Vu un Ours", de Denis Côté

Urso de Ouro curta-metragem: "La Fugue", de Jean-Bernard Marlin

Grande Prémio do Júri curta-metragem: "Die Ruhe bleibt", de Stefan Kiekhaus

Melhor primeiro filme
: "The Rocket", de Kim Mordaunt; menção especial para "A Batalha de Tabatô", de João Viana

por
publicado 13:59 - 18 fevereiro '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival