Histórias da juventude em três curtas-metragens portuguesas
"Dia de Festa", de Sofia Bost, é uma das curtas do programa 'Três realizadoras portuguesas'

Estreias  

Histórias da juventude em três curtas-metragens portuguesas

O cinema português continua a gerar um número significativo de curtas-metragens: o programa 'Três realizadoras portuguesas' é um reflexo dessa actividade, com exibição em doze cidades.

Com resultados umas vezes mais interessantes, outras vezes menos, eis um facto que pontua a história do cinema português das últimas duas décadas: a curta-metragem tem sido um activo espaço de de produção, através do qual se exprimem sensibilidades experimentações e pontos de vista muito diversos.

Como também sabemos, nem sempre essa diversidade encontra a devida expressão nos circuitos comerciais de difusão. Daí a importância simbólica do programa 'Três realizadoras portuguesas', estreado em doze salas do país [*].

São, precisamente, três curtas que, de alguma maneira, se ligam pelo modo como reflectem vivências de personagens jovens confrontadas com as vacilações do tecido familiar e social. Todas têm data de produção de 2019:

* DIA DE FESTA, de Sofia Bost — A personagem central, Mena (Rita Martins), vive sozinha com a filha: no dia do seu sétimo aniversário, ao preparar uma pequena festa, recebe um telefonema da mãe que a obriga a enfrentar memórias traumáticas...

* RUBY, de Mariana Gaivão — Ruby (Ruby Taylor) habita uma zona rural portuguesa, vivendo os cruzamentos e clivagens da sua própria história familiar: entre as origens inglesas e a possibilidade de pertença a um outro universo...

* CÃES QUE LADRAM AOS PÁSSAROS, de Leonor Teles — Vicente (Vicente Gil) é um jovem do Porto que observa as muitas transformações do espaço urbano: as dificuldades financeiras da mãe vão, de uma maneira ou de outra, afectar o seu núcleo familiar...

Talvez se possa dizer que, através das suas diferenças, os três filmes apostam em trabalhar num registo de algum realismo — há, aqui, a vontade de reflectir formas de relação (e, em todos eles, de habitação) que ecoam temas e interrogações de toda uma geração.

Com uma componente técnica que vale a pena sublinhar: os três filmes foram rodados em película de 16 mm. Num tempo de acelerada generalização das opções digitais, eis uma curiosa escolha "nostálgica".

_____

* O programa 'Três realizadoras portuguesas' foi lançado nas seguintes salas: Cinema Ideal (Lisboa), Cinema Trindade (Porto), Auditório Charlot (Setúbal), Cinema da Villa (Cascais), Cineplace Estação Viana Shopping (Viana do Castelo), Cineplace La Vie (Caldas da Rainha), Cineplace La Vie (Guarda), Cineplace Serra Shopping (Covilhã), Cineplace Nova Arcada (Braga), Cineplace AlgarveShopping (Albufeira), Cineplace Parque Atlântico (Ponta Delgada) e Cineplace MadeiraShopping (Funchal).

por
publicado 18:27 - 11 julho '20

Recomendamos: Veja mais Artigos de Curta-metragemCinema Português