Histórias de uma família japonesa
Cartaz original de "Andando"

Cinema AsiáticoDramaMais CinemaMais CinemaMais Cinema  

Histórias de uma família japonesa

Já conhecíamos Hirokazu Kore-eda através de "Ninguém Sabe". Agora, com a estreia de "Andando", podemos confirmar a sua coerência temática e a excelência do seu trabalho de realizador

De vez em quando, ainda é possível encontrar um filme assim: "Andando" (título internacional: "Still Walking") é uma história familiar — ou melhor, um leque de histórias familiares — que, em boa verdade, possui todas as componentes "telenovelescas" (as incompreensões entre pais e filhos, os traumas do passado, a agitação das crianças, etc.), mas que escapa, ponto por ponto, às convenções moralistas de muitas ficções televisivas.

A descoberta é tanto mais empolgante quanto se trata de uma produção vinda do Japão, confirmando, de modo delicado e tocante, uma velha máxima: a de que é possível construir narrativas de vocação universal a partir da minuciosa observação de situações particularíssimas, enraizadas em contextos culturais e sentimentais profundamente diferentes dos nossos.

Em todo o caso, Hirokazu Kore-eda, o realizador de "Andando", não nos era completamente desconhecido. Dele estreara já, entre nós, "Ninguém Sabe" (2004), também o retrato de uma família, mas numa situação extremada, com os filhos (crianças) a sobreviverem na completa ausência dos adultos. Kore-eda possui um agudo sentido de observação que se combina com uma mise en scène que tem tanto de discreto como de contundente — afinal de contas, através do seu trabalho, persiste a herança temática e estética do mestre japonês Yasujiro Ozu.



ANDANDO

De Hirokazu
com Abe Hiroshi, Takahashi Kazuya, Shohei Tanaka
Drama
114m
M/12
JAP
2008
 

> Ouça a crítica de João Lopes



por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema AsiáticoDramaMais CinemaMais CinemaMais Cinema