IndieLisboa anuncia fecho da programação

Festival  

IndieLisboa anuncia fecho da programação

A edição deste ano tem lugar de 21 de agosto a 6 de setembro.

A edição deste ano do IndieLisboa começa a 21 de agosto com 276 filmes, divididos por nove secções e sessões especiais, e prolonga-se até 6 de setembro no segundo ano consecutivo em que o festival decorre durante o Verão.O cinema ao ar livre regressa igualmente, acrescentando os cenários exteriores do Jardim Biblioteca Palácio Galveia e da Esplanada da Cinemateca Portuguesa às salas habituais do festival - Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa.

Na Competição Nacional, quatro longas e 19 curtas-metragens. Das propostas entre as longas fazem parte "Granary Squares", primeira obra de maior fôlego Gonçalo Lamas, estreia mundial de um documentário que traça o seu ponto de vista como se se tratasse de uma câmara de vigilância ancorada ao centro do recém-renovado distrito de King’s Cross, Londres; e "Rock Bottom Riser", filme-ensaio criado a partir de imagens de um vulcão no Havai pelo luso-americano Fern Silva, vencedor do festival de cinema documental Cinéma du Réel. Também com uma primeira longa-metragem, apresenta-se Marta Sousa Ribeiro com "Simon Chama", sobre o labirinto da adolescência; e "Táxi de Jack", de Susana Nobre, uma espécie de roadmovie onde o sexagenário Joaquim Calçada, ex-emigrante perto da reforma, se vê obrigado a cumprir as burocracias exigidas pelo centro de emprego para usufruir do subsídio. Atrás do volante de um táxi, e depois de voltar dos EUA, depara-se com um Portugal democrata, pós-revolução.

Dentro das curtas, 13 estreias mundiais, destaques para a homenagem a Jacques Demy em "Um Quarto na Cidade", de João Pedro
Rodrigues e João Rui Guerra da Mata; a comovente ligação entre avó e neto em "Boa Noite", de Catarina Ruivo; "Transportation Procedures for Lovers", de Helena Estrela, descrito como uma experiência sinestésica acerca das formas como se chega a quem se ama; "13 Ways of Looking at a Blackbird", de Ana Vaz; "The Shift", de Laura Carreira, nomeado para os Prémios de Cinema Europeus em Veneza, no ano passado; e "Tracing Utopia", de Catarina de Sousa e Nick Tyson, viagem virtual pelos sonhos e desejos de um grupo de adolescentes queer de Nova Iorque. Num tom mais ligeiro, Diogo Lima, apresenta "Os Últimos Dias de Emanuel Raposo", um falso documentário sobre um apresentador fictício da TV açoriana, Garças, Gabriela Nemésio Nobre sugere "Garças", um filme sobre uma rapariga que fez uma operação ao nariz, e Daniel Soares mostra o interior de Portugal em "O Que Resta".

Na secção Novíssimos, onde se reúnem os primeiros passos de jovens cineastas, são 13 os filmes, que se incluem nos universos do documentário, ficção, animação e até do cinema experimental. Foco principal em "Miraflores", de Rodrigo Braz Teixeira, "Party Tattoos", documentário de Teresa Sandman na primeira pessoa que se concentra na celebração de aniversários passados, "Azul e Prata", de João Coroa Justino, e "Noctur", de Ana Vala.

Quanto às sessões especiais, começam no primeiro dia do Indielisboa com "Summer of Soul (...Or, When The Revolution Could Not Be Televised)", sessão de abertura a ter lugar na sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. O documentário de Ahmir “Questlove” Thompson debruça-se sobre um festival esquecido de 1969 que decorreu no Harlem de Nova Iorque pouco tempo antes de Woodstock. Prosseguem com "Paraíso", o mais recente filme de Sérgio Tréfaut, é exibido a 6 de Setembro na Culturgest. O filme presta tributo a um grupo de idosos que se reunia todos os dias nos jardins do Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, e que viu a sua actividade subitamente interrompida pela pandemia do coronavírus; "A Cidade de Portas", de Teresa Prata e Humberto Kzure, documentário sobre a figura do urbanista Nuno Portas; "Vieirapad", de João Mário Grilo, um olhar sobre a escrita íntima do casal de artistas plásticos Maria Helena Vieira da Silva e Árpád Szenes; e um encontro entre o Welket Bungué e Joacine Katar Moreira em "Mudança".

Ainda no mesmo âmbito, serão exibidos "O Princípio, o Meio, o Fim e o Infinito", do multidisciplinar Pedro Coquenão, que assina com o nome Batida.

O programa Cinema e 5L, realizado em parceria com o novo Festival Literário da cidade de Lisboa, Lisboa 5L, junta cinco obras-primas do cinema, cada uma delas representante de um género literário: "2001: A Space Odyssey", de Stanley Kubrick, o conto. "The Color of Pomegranates", de Sergei Parajanov, a poesia. "Enrico IV", de Marco Bellocchio, o teatro. "Fahrenheit 451", de François Truffaut, o romance. Morte em Veneza", de Luchino Visconti, a novela.

Nas actividades para profissionais, anuncia-se mais uma Lisbon Screenings, onde são apresentados novos filmes portugueses terminados, ou ainda por terminar, à procura de estreia. Nas longas- metragens, apresentam-se títulos de Inês Oliveira, Ana Sofia Fonseca e José Filipe Costa. Nas curtas-metragens, filmes de Diogo Baldaia, Ágata de Pinho, Falcão Nhaga, José Manuel Fernandes, Pedro Neves Marques, entre outros.

Do programa da edição 18 do Indie faz ainda parte a retrospectiva da obra da cineasta e poeta Sarah Maldoror, pioneira do cinema africano, com sessões concentradas na Cinemateca Portuguesa.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival