Jim Jarmusch reinventa o filme de vampiros
Tilda Swinton e Tom Hiddleston: vampiros com receio de serem contaminados pelos... humanos

Cannes dia 10: ONLY LOVERS LEFT ALIVE, Jim Jarmusch  

Jim Jarmusch reinventa o filme de vampiros

No seu tom muito peculiar, romântico e nostálgico, Jim Jarmusch surge agora na competição de Cannes com um filme de vampiros: Tilda Swinton e Tom Hiddleston interpretam o par central.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Jim Jarmusch reinventa o filme de vampiros
Only Lovers Left Alive Uma história sobre dois vampiros que estão apaixonados há séculos.
Média Cinemax:
2.75

Num tempo em que os "zombies" voltaram a estar na moda, será que ainda existe espaço para os filmes de vampiros? Jim Jarmusch acredita que sim e, para evitar confusões, empresta mesmo aos seus vampiros uma profunda nostalgia pelos tempos em que a vida na Terra ainda não tinha sido destruída pelos humanos, precisamente esses seres a que eles chamam... "zombies".

Para utilizarmos um adjectivo que funciona como uma espécie de assinatura da obra de Jarmusch, digamos que o seu filme na competição, "Only Lovers Left Alive", foi o mais cool de toda a selecção de Cannes/2013: Tilda Swinton e Tom Hiddleston definem um par romântico, sereno e desencantado, que se vai alimentando de sangue traficado através de um hospital, já que nunca se sabe que tipo de contaminação pode acontecer quando se dá uma dentada num humano...

Será uma boa e discreta metáfora deste nosso século XXI em que até mesmo os vampiros se monstram desencantados com aquilo que tem acontecido às marcas da civilização, a começar pelas grandes cidades. Neste aspecto, o modo como Jarmusch capta a noite da cidade de Detroit é especialmente sugestivo, como se estivesse apenas a fazer um documentário sobre a melancolia existencial daa suas personagens.

Como sempre acontece no cinema de Jarmusch, a música desempenha um papel fundamental na atmosfera ambiguamente romântica de "Only Lovers left Alive", até porque o vampiro interpretado por Hiddleston (que vimos, por exemplo, em "O Profundo Mar Azul", de Terence Davies) é compositor e obsessivo coleccionador de guitarras. Entre os nomes lendários que passam pela banda sonora, incluem-se Wanda Jackson, Charlie Feathers e Denise LaSalle.

por
publicado 23:43 - 25 maio '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2013