LEFFEST: o realismo com Ana Moreira
Ana Moreira em "Transe" — uma presença fundamental no cinema de Teresa Villaverde

LEFFEST 2016  

LEFFEST: o realismo com Ana Moreira

Teresa Villaverde tem uma retrospectiva no LEFFEST — "Transe", produção de 2006 centrada na odisseia de uma jovem no submundo da prostituição internacional, é um momento fundamental do seu trabalho com a actriz Ana Moreira.

De uma maneira ou de outra, a obra da cineasta portuguesa Teresa Villaverde remete-nos para os espaços e desejos da infância e adolescência. E isto desde as suas primeiras longas-metragens, "A Idade Maior" (1991) e "Três Irmãos" (1994). A retrospectiva que o Lisbon & Estoril Film Festival lhe dedica será, por certo, uma confirmação quase didáctica dessa lógica.

Foi com "Os Mutantes" (1998) que o trabalho de Teresa Villaverde, por assim dizer, ofereceu ao cinema português a presença emblemática de Ana Moreira, actriz de presenças tão enigmáticas quanto intensas. "Transe" (2006) poderá ser visto, justamente, como a confirmação plena da sua aliança artística.


É, curiosamente, um filme que nasce longe do espaço português, narrando a saga de Sónia (Ana Moreira), uma jovem de São Petersburgo que atravessa a Europa e chega a Portugal — aquilo que parecia uma viagem a caminho de uma existência mais estável e harmoniosa, acaba por se transfigurar num pesadelo vivido no submundo da prostituição internacional...

Para além da intensidade da composição de Ana Moreira, este é um filme que afirma uma vertente que, afinal, dez anos depois, está mais actual do que nunca. A saber: a afirmação de um realismo cru e desencantado que, em qualquer caso, não exclui as mais sofisticadas derivações poéticas.

> Nimas, dia 6, 17h15 [Conversa com Teresa Villaverde e Ana Moreira]

por
publicado 01:23 - 05 novembro '16

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival