A seleção da Quinzena dos realizadores

Cannes 2015  

A seleção da Quinzena dos realizadores

O belga Jaco Van Dormael, o japonês Takashi Miike, os franceses Philippe Garrel e Arnaud Desplechin, e o português Miguel Gomes enriquecem a secção paralela de Cannes.

Artigo recomendado:
A seleção da Quinzena dos realizadores
Cinema Português
"As Mil e Uma Noites" de Miguel Gomes, na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes Os três volumes do novo filme do realizador português terão estreia mundial na Quinzena dos realizadores que decorrerá de 14 a 24 de maio.

"Há uma série de mitos nesta seleção, e temos os dois cineastas lendários com filmes sobre mitos", disse o delegado geral da Quinzena dos Realizadores, Edouard Waintrop, quando apresentou a seleção final.

Primeiro mito: Jaco Van Dormael ("Tóto, o herói", "O Oitavo Dia") vai apresentar "The All New Testament", uma comédia "delirante" com Benoît Poelvoorde, Yolande Moreau e Catherine Deneuve. Ele coloca Deus em cena como "um tipo mau" que vive em Bruxelas.

Segundo mito: o cineasta francês Philippe Garrel, 67 anos. O seu nome havia sido mencionado para a competição principal mas é ele que vai abrir a Quinzena com "L' Ombre des Femmes"", uma variação em torno do sentimento de amor.

O mais recente filme de outro nome maior do cinema francês ficou de fora da seleção oficial e marca presença na secção paralela. É "My Golden Years (Trois Souvenirs de Ma Jeunesse)", de Arnaud Desplechin, um veterano no festival de Cannes que concorreu à palma de Ouro com cinco filmes: "La sentinelle" (1992), "Comment Je me Suis Disputé... (ma vie sexuelle)"
(1996), "Esther Kahn" (2000), "Um Conto de Natal" (2008) e "Jimmy P." (2013)

O delegado geral da Quinzena salientou sentir orgulho "orgulho e entusiasmo por apresentar o último projeto dirigido por Arnaud Desplechin, talvez o seu melhor e mais emocionante filme."

Há estrelas nesta edição da Quinzena - Benicio del Toro, Tim Robbins e Mélanie Thierry - e surgem nos créditos de "A Perfect Day", do espanhol Fernando León de Aranoa, sobre uma equipa de resgate numa zona de guerra.

É aqui que está a única longa-metragem portuguesa incluída nas diversas seleções desta edição do festival. Vão ser necessário três sessões para o português Miguel Gomes apresentar "As Mil e Uma Noites", um filme de mais de seis horas sobre a crise em Portugal.

"The Here After", primeira longa metragem do sueco Magnus von Horn, e "Peace to us in our dreams" do lituano Sharunas Bartas completam a presença europeia.

O veterano japonês Takashi Miike apresenta "Yakuza Apocalypse: The Great War of the Underworld", um filme sobre a  máfia e vampiros. "É um dos filmes mais loucos que temos", admite o diretor da Quinzena.

Há três filmes norte-americanos: "Dope", de Rick Famuyiwa, sobre o hip hop, "Green Room", de Jeremy Saulnier, sobre uma banda punk, e "Songs My Brothers Taught Me", o primeiro filme Chloé Zhao que foi filmado numa reserva indígena.

A América latina está ausente da seleção oficial mas surge representada na Quinzena com o documentário "Allende Allende Mi Abuelo" de Marcia Tambutti, neta do presidente deposto por Pinochet, e "El Abrazo a Serpiente" do colombiano Ciro Guerra.

Um primeiro filme turco, "Mustang", de Deniz Gamze Ergüven, sobre a situação das mulheres na Turquia, e "Much Loved" do marroquino Nabil Ayouch, sobre três prostitutas retrato, destacam-se na seleção oficial.

Dos 1.623 filmes recebidos, foram selecionados 17 títulos, incluindo obras de cineastas reconhecidos, mas também primeiros filmes de realizadores que valerá a pena seguir.

Quinzena dos Realizadores - seleção oficial
LONGAS METRAGENS

A Perfect Day, Fernando León de Aranoa
Allende Mi Abuelo Allende, Marcia Tambutti
As mil e uma Noites, Miguel Gomes - Volume 1, o inquieto, Volume 2, o desolado | Volume 3, o encantado
Les Cowboys de Thomas Bidegain
Dope, Rick Famuyiwa
El Abrazo de la Serpiente, Ciro Guerra
Fatima, Philippe Faucon
Yakuza Apocalypse: The Great War of the Underworld, Takashi Miike
Green Room, Jeremy Saulnier
Much Loved, Nabil Ayouch
Mustang, Deniz Gamze Ergüven
L’Ombre des Femmes, Philippe Garrel (precedida da curta metragem inédita de Philippe Garrel de 1968, Actua 1)
Peace to Us in Our Dreams, Sharunas Bartas
Songs My Brothers Taught Me, Chloé Zhao
Efterskalv (The Here After), Magnus von Horn
Le Tout Nouveau Testament, Jaco Van Dormael
Trois Souvenirs de Ma Jeunesse, Arnaud Desplechin

CURTAS METRAGENS

Bleu Tonnerre,  Jean-Marc E. Roy & Philippe David Gagné
Calme ta Joie, Emmanuel Laskar
El Pasado Roto, Martín Morgenfeld & Sebastián Schjaer
Kung Fury, David Sandberg
Pitchoune, Reda Kateb
Provas, Exorcismos, Susana Nobre
Pueblo, Elena Lopez Riera
Quelques Secondes, Nora El Hourch
Quintal, André Novais Oliveira
Rate Me, Fyzal Boulifa
The Exquisite Corpus, Peter Tscherkassky

por
publicado 18:27 - 24 abril '15

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2015