Leff, dia 10: o palmarés
Francesca Riso e Alessio Gallo numa cena do filme "L'Intervalo" vencedor da competição do Lisbon & Estoril Film Fest.

LEFF 2012  

Leff, dia 10: o palmarés

Após um bom acolhimento em Veneza, a obra "L'intervallo" foi distinguida no Lisbon & Estoril Film Fest.

A longa-metragem "L'Intervallo", de Leonardo di Constanzo, venceu hoje o prémio de melhor filme do Lisbon & Estoril Film Festival. O filme apresenta-nos Veronica e Salvatore, dois adolescentes fechados num prédio abandonado. Veronica é a prisioneira e Salvatore toma conta dela por ordem do líder de um gangue local e, à medida que o tempo passa, a relação entre os dois torna-se menos hostil.

A primeira obra de ficção de Leonardo di Constanzo, realizador que já dirigiu vários documentários, voltou, assim, a ser distinguida, depois de ganhar sete prémios no Festival de Cinema de Veneza.

O júri, constituído pelo pianista austríaco Alfred Brendel, a atriz francesa Fanny Ardant e a violoncelista franco-americana Sonia Wieder-Atherton, decidiu igualmente premiar Melvil Poupaud pela sua interpretação no filme "Laurence Anyways", de Xavier Dolan, e distinguir como a melhor pintura o quadro de Miqel Barceló que figura em "Sueo y Silencio", de Jaime Rosales.

O prémio especial do júri "João Bénard da Costa" foi atribuído a "Student", de Darezhan Omirbayev, e "Djeca -- Children of Sarajevo", de Aida Begic.

A ação de "Student", filme inspirado no romance de Dostoiévski "Crime e Castigo", desenrola-se no Cazaquistão dos nossos dias e conta a história de um estudante de Filosofia que, sofrendo de falta de dinheiro e solidão e condicionado por valores duvidosos, faz do merceeiro local e de uma cliente as suas vítimas e, depois, começa a ser consumido pelo sentimento de culpa, apercebe-se do que fez e entrega-se à polícia.

O filme esteve presente nos festivais de Cinema de Cannes, Chicago e Mar del Plata.

"Djeca - Children of Sarajevo" apresenta-nos Rahima, de 23 anos, e o irmão Nedim, de 14 anos, órfãos da guerra da Bósnia que moram em Sarajevo, numa sociedade transitória que perdeu toda a compaixão pelos filhos dos que morreram durante o cerco à cidade. Após uma adolescência delinquente, Rahima encontrou um reconforto no Islão e espera que o irmão siga os seus passos.

O filme recebeu o Prémio "Un Certain Regard" do Festival de Cinema de Cannes 2012.

Para o Prémio de Melhor Primeira Obra, o júri elegeu o documentário "Winter, Go Away!", da autoria de dez jovens realizadores que acompanharam as táticas utilizadas pelos opositores do Presidente russo, Vladimir Putin, durante a campanha eleitoral deste ano, entre fevereiro e março.

O documentário inclui, entre outros destaques, uma entrevista com a banda punk Pussy Riot, que atuou numa igreja ortodoxa e cujos elementos acabaram condenados a alguns anos de prisão.

O Prémio Cineuropa foi para o filme "Rengaine", de Rachid Djadani, em que o realizador capta, em 75 minutos, as complexidades das dinâmicas familiares dentro das etnias que, diferenciadas por profissões e crenças, são o tecido das metrópoles e das zonas extraurbanas na nova Europa.

"Em 'Rengaine', Rachid Djadani traça, na história pessoal de Dorcy e Sabrina, firmes no desejo de não cairem no obscurantismo das predeterminações das sociedades de pertença e na procura empática das correspondências afetivas, a história social da Europa dos nossos dias, numa crise rastejante, em busca de uma melhor conceção de democracia e de relacionamento com a história dos seus cidadãos", afirmou a diretora artística do Festival de Cinema Europeu, Cristina Soldano.

O Cineuropa é o maior portal para a divulgação do cinema europeu é um projeto co-financiado pelo Programa Media e pelas maiores entidades cinematográficas europeias.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de LEFF 2012