Leff, dia 5: as provocações de Lucrécia Martel

LEFF 2012  

Leff, dia 5: as provocações de Lucrécia Martel

Uma cineasta que entrou para o circuito dos festivais internacionais há pouco mais de uma década com uma obra pessoal.

Em apenas três longas metragens a realizadora Lucrécia Martel construiu um universo difícil de catalogar, através de um olhar que questiona o meio burguês e católico onde foi criada.

Para a realizadora é mais do que natural que o núcleo familiar da burguesia a que ela própria chama de pretensiosa, seja um ponto de partida para os filmes que faz. É a herança da sociedade argentina, que é também toda ela profundamente católica.

Lucrécia Martel parece desapegada de qualquer sensibilidade quando caracteriza o meio onde cresceu e o país de origem. De resto, já assumiu que o cinema torna possível um certo sentimento de vingança pelo contexto social em que viveu, e que não suporta.

O cinema torna-se assim uma ferramenta para a percepção de uma realidade, e um modo de questionar a forma como nos relacionamos com ela, ou como a construímos.

O cinema de Lucrécia Martel conta histórias provocadas pelas condições climáticas, como as famílias que se cruzam nas chuvadas de "O Pântano", ou o encontro de salvação e perdição entre uma jovem católica à descoberta das tentações e um médico que arrisca cair na pedofilia no filme "A Rapariga Santa", ou ainda a tormenta zombie de uma mulher que perde a memória e as referências depois de um acidente no filme "A Mulher sem Cabeça".

Há um olhar sensível, mas também algo provocador na forma como Lucrécia Martel expõe as personagens, sem falsos moralismos, a situações mais delicadas e que até são entendidas pela sociedade como assunstos tabu.

As longas metragens de Lucrécia Martel conseguiram um espaço de visibilidade em Portugal e já passaram pelas salas, mas o festival dá oportunidade de ver também as curtas metragens da realizadora argentina que traz um novo território para o cinema internacional.


Destaque LEFFEST, dia 5: sessão de curtas-metragens de Lucrécia Martel


"Muta" (2011), "Pescados" (2011), "Nueva Argirópolis" (2010)
18h00 Espaço Nimas - Lisboa

"A Rapariga Santa" Lucrécia Martel
19h00 Espaço Nimas - Lisboa

por
publicado 15:34 - 13 novembro '12

Recomendamos: Veja mais Artigos de LEFF 2012