MONSTRA anuncia 480 filmes para a edição deste ano

Festival  

MONSTRA anuncia 480 filmes para a edição deste ano

Este verão a MONSTRA traz a Lisboa 480 filmes e homenageia o cinema de animação da Bélgica.

O MONSTRA Festival de animação de Lisboa regressa de 21 de julho a 1 de agosto, ao Cinema São Jorge e a outras salas da capital com um programa que também inclui sessões ao ar livre e uma homenagem ao cinema de animação belga.

Uma edição com início precisamente no dia nacional da Bélgica, a 21 de julho. A este país vão ser dedicadas sessões de longas e curtas-metragens, numa programação que inclui uma parceria com o Festival Anima de Bruxelas, que completa 40 anos. Está prevista uma retrospetiva de Raoul Servais e outra dedicada à adaptação da banda desenhada franco-belga ao cinema de animação, com personagens como Tintim, ou Lucky Luke. Os estúdios e escolas de animação deste país serão também destacados em várias sessões.

Em antestreia nacional será exibido "Bigfoot em Família", dos belgas Ben Stassen e Jerémie Degruson.

Na competição de longas metragens o MONSTRA apresenta "Calamity, a infância de Martha Jane Cannary" de Rémi Chayé (Cristal de Melhor Longa-metragem em Annecy 2020), e o mais recente filme de Goro Miyazaki, "Aya e a Feiticeira", do estúdio Ghibli, em estreia nacional. A competição portuguesa é composta por 12 curtas-metragens realizadas no último ano.

O festival exibe também obras marcantes da cinematografia de animação japonesa e faz regressar os programas TerrorAnim, ClipAnim, Triple X, e Dokanim, este ano também com curtas documentais portuguesas. Do programa de filmes históricos, destacam-se os 80 e 70 anos de "Dumbo" e "Alice no País das Maravilhas" e a possibilidade de rever estes clássicos da Walt Disney, lado a lado com as suas reinvenções mais recentes, de Tim Burton.

De 17 de julho a 5 de setembro "O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto" o MONSTRA junta-se novamente ao Museu da Marioneta para apresentar outra exposição de marionetas e cenários usados no cinema de animação. Em foco estará a produção portuguesa “O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto”, curta-metragem realizada por Bruno Caetano. A exposição será composta por “ruas”, “largos” e “fachadas” de uma Lisboa miniaturizada estranhamente distópica e familiar, construídas para o filme, e espaços interiores combinados com marionetas e personagens, adereços, pequenos veículos e outros elementos de decoração.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival