MTV faz 30 anos
1 de Agosto de 1981: a MTV começou assim

Telediscos & cinema  

MTV faz 30 anos

Foi há exactamente 30 anos que começaram as emissões da MTV: a "televisão da música" foi também um novo e importante espaço criativo para muitos realizadores de cinema.

Missão Apollo 11: um astronauta pisa o solo lunar e, em vez da bandeira dos EUA, coloca o símbiolo da... MTV!!!

Foi assim que começaram as emissões da MTV, a 1 de Agosto de 1981. Que é como quem diz: há exactamente 30 anos, o mundo das imagens assistia a uma das suas transformações mais radicais, não apenas na televisão e na música, mas também na convivência entre criadores de cinema, música e respectivas linguagens.

Assim, a história destas três décadas é também uma epopeia de canções e filmes em que as personalidades cinematográficas participaram de forma muito activa, por vezes integrando nos seus filmes componentes e estruturas aprendidas (e apreendidas) no universo musical. O mundo dos telediscos é, continua a ser, um universo eminentemente cinéfilo.

Entre muitas dezenas (centenas?) de memórias, aqui ficam três nomes de cineastas ligados a momentos emblemáticos da relação entre cinema e música, telediscos e narrativas cinematográficas:

* JOHN LANDIS. O realizador de "Um Lobisomem Americano em Londres" (1981) dirigiu aquele que é um dos clássicos absolutos da história dos telediscos: "Thriller" (1983), de Michael Jackson, integrando precisamente várias componentes de um universo fantástico em que a Lua é o motor de uma transformação do ser humano em monstro (cantante e dançante...). Além do mais, "Thriller" foi também pioneiro no chamado long-form: para além da versão normal, com a duração da canção, existe uma versão longa de 14 minutos.

* DAVID FINCHER. Antes da sua consagração como um dos mais originais criadores do moderno cinema americano (recorde-se que o seu primeiro filme, "Alien 3", foi lançado em 1992), Fincher manteve uma importante actividade como realizador de telediscos, tendo trabalhado, entre outros, com Madonna, The Rolling Stones e George Michael. A sua primeira colaboração com Madonna, "Express Yourself" (1989), pode ser considerada também a primeira superprodução da história dos telediscos: uma épica love story que evoca, explicitamente, a iconografia do clássico expressionista "Metropolis" (1927), de Fritz Lang.

* ANTON CORBIJN. O primeiro filme de Corbijn, "Control" (2007), sobre Ian Curtis e os Joy Division, mergulhava num riquíssimo universo musical. Mas a sua relação com a vasta paisagem do pop-rock é muito anterior, quer como fotógrafo, quer como autor de telediscos. Manteve, em particular, uma colaboração regular com os U2: com o seu misto de documentário & delírio ficcional, "One", canção do álbum "Achtung Baby" (1991), é um dos momentos altos dessa colaboração.

* * * * *

Hoje em dia, infelizmente, a MTV perdeu grande parte da vitalidade dos seus primeiros vinte anos. Por um lado, é verdade que os investimentos da indústria discográfica na criação de telediscos se tornaram muito mais reduzidos e, sobretudo, selectivos, contrariando a lógica experimental que prevaleceu durante muitos anos, sobretudo nas décadas de 80 e 90; mas, por outro lado, não é menos verdade que a própria MTV atraiçoou os seus valores originais, cedendo muitos espaços da sua grelha à mediocridade dos formatos da reality TV (tornou-se mesmo habitual o tempo diário dedicado a telediscos não atingir as três horas de emissão).

Seja como for, pode dizer-se que a eterna nostalgia do musical (cinematográfico) teve uma boa compensação na história da MTV: não voltámos à glória dos anos 30/40 (Busby Berkeley, Vincente Minnelli, Stanley Donen, etc., etc.), mas é um facto que os telediscos ajudaram a reinventar algum fulgor nas relações entre música e imagens em movimento.

por
publicado 14:13 - 01 agosto '11

Recomendamos: Veja mais Artigos de Musical