Michael Haneke filma o amor e a morte
Michael Haneke dirigindo Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva.

Cannes 2012  

Michael Haneke filma o amor e a morte

Cineasta austríaco gela o Festival de Cannes com uma obra centrada num casal de octagenários.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Michael Haneke filma o amor e a morte
Amor Georges e Anne estão nos seus oitenta anos. São Professores de música aposentados. A filha, que também é música, mora no estrangeiro com a família. Um dia Anne tem um ataque. A relação do casal é severamente testada.
Média Cinemax:
4.333

Não há caminhos nem soluções fáceis no cinema de Michael Haneke, e o seu novo filme lida de forma desassombrada com o tema da morte, observando a decadência gradual de uma mulher idosa e o modo como o marido enfrenta o problema.

Os octagenários Jean-Louis Trintignant (82 anos) e Emmanuelle Riva (85 anos) formam este casal com uma existência tranquila, até que um acidente vascular cerebral afeta a autonomia e o discernimento de Anne.

Sabemos antecipadamente que Anne morreu - na primeira sequência do filme, os bombeiros entram no apartamento silencioso e encontram o corpo de uma mulher morta na cama. Mas essa opção de expor o desfecho não retira interese à narrativa, porque todo o filme aprofunda a relação do casal, o modo como George lida com as fragilidades da mulher e como essa situação coloca em causa os laços afetivos.
 
É um drama familiar singular, sombrio, quase silencioso, sobre os limites do amor. A ação acontece no interior de um apartamento e sobressai o esforço dos atores para assumirem as limitações físicas e o desgaste psicológico das personagens.

Este novo filme de Haneke, exibido dois anos depois do realizador ter ganho a Palma de Ouro com "O Laço Branco", gelou o festival. E confirma que o cineasta é sempre um sério candidato à Palma de Ouro.

por
publicado 00:13 - 21 maio '12

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2012