Música, palavras e corpos
O desejo da música, ou hip hop em Casablanca

CANNES 2021  

Música, palavras e corpos

Incluído na secção competitiva de Cannes, "Haut et Fort" possui uma dimensão auto-biográfica: Nabil Ayouch evoca a sua aprendizagem musical em Casablanca e, em particular, a descoberta do hip hop.

Chama-se, no original francês, "Haut et Fort", ou seja, "alto e forte"... Aliás, talvez fosse mais correcto dizermos "alto e bom som", já que tudo acontece numa escola de um centro cultural em que um professor de música, Anas (Anas Basbousi), tenta sensibilizar os alunos para a energia criativa e a força simbólica do rap e do hip hop.

Obviamente, nada disto é alheio ao contexto em que tudo acontece. Ou seja: Casablanca, Marrocos — o título internacional do filme é "Casablanca Beats". Ou ainda: um universo em que o desejo de criação, em particular nos mais jovens, se confronta com barreiras muito variadas, desde a resistência de algumas famílias até ao peso dos valores religiosos em todas as formas de organização do quotidiano.


Apresentado na competição de Cannes, o filme de Nabil Ayouch parte de memórias auto-biográficas, o que não será, por certo, estranho aos resultados tão vivos e enérgicos. Ainda que de forma algo esquemática, por vezes um pouco à deriva, o filme de Ayouch consegue conjugar as suas sugestões temáticas com uma sensação de reportagem — assistimos, em directo, ao desejo da música e à sua contaminação das palavras e dos corpos.

por
publicado 17:32 - 17 julho '21

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2021