Nicolau Breyner roda segundo filme
Quinta das Lapas, um palacete em Torres Vedras, é um dos cenários do filme (foto: Lara Marques Pereira)

Cinema PortuguêsRodagem  

Nicolau Breyner roda segundo filme

O Cinemax seguiu a primeira fase da rodagem do thriller "A Teia de Gelo", falado em português e inglês numa clara aposta em ganhar outros mercados.

Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Reportagem de Lara Marques Pereira na rodagem do novo filme de Nicolau Breyner
Vídeo:
Nicolau Breyner roda segundo filme
Nicolau Breyner roda "A Teia de Gelo" Reportagem de Luisa Sequeira durante as filmagens na Serra da Estrela, um dos cenários naturais do filme.

Aos 71 anos, o conhecido actor confessa-se fascinado com o cinema e mais ainda com a naturalidade com que assume uma nova faceta, a de realizador. Nicolau Breyner escreveu a história de "A Teia de Gelo", a pensar numa forma de juntar suspense, acção e a fórmula certa para exportar cinema português.

Esta é a história de um especialista informático que decide dar um golpe nos patrões que gerem negócios pouco recomendáveis. O plano não corre como o previsto e acaba por ter de fugir, perseguido por assassinos. A viagem de fuga termina em pleno cenário de neve quando ele encontra uma casa acolhedora, habitada por uma família que vai revelar-se afinal ser um pesadelo ainda maior.

Diogo Morgado é o protagonista em fuga, um actor que já esteve várias vezes sob direcção de Nicolau Breyner em projectos televisivos. Afirma que a primeira razão para aceitar o projecto passa justamente pela margem de confiança que o realizador garante. Quanto ao desafio de representar em inglês, reconhece que é está a fazer um esforço suplementar para encontrar o tom de voz e a dicção certa.

A primeira fase da rodagem faz-se nos arredores de Lisboa, num palacete em Torres Vedras que serve de cenário para a casa perdida no meio da neve, onde o protagonista encontra refúgio. E aqui, há mesmo neve espalhada pela Quinta das Lapas, filmada durante a noite cerrada, mesmo que a cena no filme seja uma manhã solarenga.

A caminho das onze da noite Nicolau Breyner vai acusando algum cansaço, mas mantém a atenção aos pormenores, enquanto a equipa prepara o cenário de interiores para uma cena em que a câmara vai percorrer várias salas da mansão. João Cayatte, realizador de publicidade e professor, aceitou ser assistente de realização do projecto e vai acompanhando todo os passos. Para Nicolau Breyner é uma espécie de rede de segurança, porque apesar de considerar que o cinema a esta altura tem poucos segredos, pode contar com mais um par de olhos, e com uma segunda opinião para as questões mais técnicas.

Nos próximos dias a equipa vai andar pela Serra da Estrela. Posteriormente, as filmagens prosseguirão em São Tomé e Príncipe, o cenário inicial da história. O elenco inclui ainda nomes como Margarida Marinho, Paula Lobo Antunes, Nuno Melo e o próprio Nicolau Breyner num pequeno papel. O resultado final será visto nas salas portuguesas no próximo Outono.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema PortuguêsRodagem