O Grande Kilapy abre Festin
Lázaro Ramos na rodagem de "O Grande Kilapy"

Festival  

"O Grande Kilapy" abre Festin

Filme de Zézé Gamboa terá primeira exibição em Portugal no dia 3 de abril.

Artigo recomendado:
O Grande Kilapy abre Festin
Rodagem "O Grande Killapi" de Zézé Gamboa
O bom malandro angolano A história de um malandro que desviou dinheiro que chegava a Angola da metrópole, nos anos 60, é o próximo filme de Zéze Gamboa, rodado ...

O Festin, Festival de Cinema Itenerante de Língua Portuguesa, exibirá na sessão de abertura a comédia dramática "O Grande Kilapy". O filme segue a história de João Fraga (Lázaro Ramos), um bom malandro angolano que se tornou numa personagem incomóda e subversiva ao burlar o Estado português, nos derradeiros anos do período colonial, em muitos milhares de contos.

João Fraga ficou conhecido como o Joãozinho das garotas, foi preso na véspera da revolução de abril de 1974 e acabou por ser libertado como um dos heróis da independência de Angola.

O filme é despoletado por uma memória de infância, de Zézé Gamboa, vivida pelas ruas de Luanda. Aos dez anos o realizador conheceu uma figura que não só lhe despertou o interesse como o fascinou pelo seu modo de vida. Tratava-se de uma Luanda colonial, culturalmente mestiça e forte.

"Eu era muito garoto quando me apercebi de uma personagem que andava sempre em grandes automóveis e acompanhado por lindas mulheres. Isso na altura causou-me algum espanto e tornava-se impressionante porque na cidade de Luanda ele era dos poucos jovens africanos que conduzia carros último modelo e fazia uma vida de playboy", contou o realizador.

Mais tarde, Bruxelas, anos 80 Zézé Gamboa encontra Joãozinho numa discoteca e propõe-lhe fazer um filme em que contasse a sua história. E assim nasce "O Grande Kilapy". Alguns consideram-no um filme baseado no cinema afro-americano dos anos 70. Talvez o seja pela estética, ironia e aventura que lhe são inerentes, mas por outro lado a blaxploitation, não comporta a componente política existente em "Kilapy": a presença portuguesa em Angola e a forma como a sociedade colonial estava organizada.

O filme entrou pela porta da frente em festivais por todo o mundo. Começou pelo TIFF Toronto International Film Festival, passou pelo BFI London Film Festival e em seguida marcou presença nos Emirados Árabes Unidos no DIFF Dubai International Film Festival e no GIFF – Goteborg International Film Festival.

Posteriormente viaja para Ouagadougou, para o mais importante festival de cinema africano a nível mundial, o FESPACO - Festival Panafricano de Cinema e em seguida é escolhido como Filme de Abertura e em Competição no CinemAfrica em Estocolmo.

Agora "O Grande Kilapy" aterra no FESTIN (Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa) para a sua primeira passagem em Portugal, sendo um dos filmes em competição. Nesta 4ª Edição, para além de outras particularidades, o FESTIN homenageia o cinema angolano.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival