O esquematismo de um filme de guerra
Abdul-Khalim Mamatsuevi e Bérénice Bejo — como se fosse um banalíssimo telefilme...

Cannes 2014: THE SEARCH, Michel HAZANAVICIUS  

O esquematismo de um filme de guerra

Michel Hazanavicius, o realizador de "O Artista", compete em Cannes com um filme sobre a guerra da Chechénia — "The Search" acaba por ser um caso infeliz de determinismo dramático e simplismo cinematográfico.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 O esquematismo de um filme de guerra
The Search Quatro destinos cruzados durante a guerra. Entre 1999 e 2000, durante o conflito entre russos e chechenos, Carole, uma enfermeira e membro de uma ONG, organização não governamental, recolhe uma criança chechena. Paralelamente, seguimos a história de um jovem soldado russo.
Média Cinemax:
0.333

Mesmo os menos entusiastas de "O Artista" (entre os quais me incluo) não esperariam uma viragem tão insólita e, sobretudo, tão frustrante no trabalho do realizador francês Michel Hazanavicius — de facto, "The Search" (competição) constitui uma penosa colagem de lugares-comuns sobre a invasão da Chechénia pelas forças russas, em 1999.

A história tem tanto de esquemático como de previsível, surgindo como pólo central uma criança (Abdul-Khalim Mamatsuevi), que assistiu ao assassinato dos pais, e o seu irmão, ainda bebé, que tenta desesperadamente reencontrar — com ele, vai-se cruzar uma mulher (Bérénice Bejo), em missão para a União Europeia, que coloca a hipótese de poder integrar a criança à deriva na sua própria família...

O pior tem a ver com o tratamento determinista da situação, para mais sem que o filme consiga organizar qualquer informação minimamente consistente sobre a própria situação de guerra que tenta retratar. Há telefilmes banalmente "descritivos" menos demagógicos que este "The Search". No meio de tudo isto, até mesmo a presença da notável Annette Bening (numa personagem da ajuda humanitária internacional) redunda num completo desperdício.

por
publicado 23:41 - 21 maio '14

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2014