O filme-acontecimento fora do festival
Gérard Depardieu personifianco a adição sexual de Dominique Strauss-Khan.

Cannes 2014: WELCOME TO NEW YORK, Abel FERRARA  

O filme-acontecimento fora do festival

Três anos depois do escândalo protagonizado por Dominique Strauss-Khan, o realizador Abel Ferrara apresentou em Cannes, numa antestreia especial, "Welcome to New York", o seu filme sobre os acontecimentos.

Artigo recomendado:
O filme-acontecimento fora do festival
Cannes 2014
"Welcome to New York" exibido em Cannes O filme terá distribuição online em França no mesmo dia em que será exibido no festival.

Entre a realidade e a ficção, por vezes a linha é tão transparente que quase não se dá por ela. É o caso de "Welcome to New York", de Abel Ferrara, objecto de luxo de um festival que não se comprometeu a dar-lhe uma chance na competição oficial.

De facto sexo, poder e política representam uma mistura demasiado explosiva… Ainda mais quando a inspiração chega de factos reais e reconhecidos pelo grande público. Dominique Strauss-Khan (DSK) ou Devereaux, no filme interpretado por um inspirado ator, desiludido com a política, chamado Gérard Depardieu.

Não existem aqui tabús como em "Sàlo ou os 120 Dias de Sodoma", de Pier Paolo Pasolini. Tudo é permitido para concretizar uma adição sexual ilimitada, ultrapassando os limites da ética, da responsabilidade, resvalando para o crime de violação - o filme não assume os factos mas é inspirado pelas consequências do ocorrido no Hotel Sofitel, em maio de 2011, quando DSK foi detido por alegado abuso sexual de uma empregada de quarto.

"Welcome to New York" segue a história que conhecemos. Um político com aspirações a ser presidente da França, casado e com uma filha, mas ao mesmo tempo um mulherengo a tempo inteiro, sempre pronto a fazer sexo com prostitutas. Depois a tentativa de violação da empregada de limpeza do hotel de luxo, os problemas com a justiça norte-americana, a prisão e o julgamento publico.

A câmara de Abel Ferrara vai testemunhando os excessos de Devereaux sem piedade, mas na rudeza anti-cristã e niilista da personagem, acaba por dar-lhe a redenção muito presente no contexto da sua obra cinematográfica.

O filme não foi exibido na competição do festival de Cannes, mas o produtor aproveitou a presença da imprensa internacional para realizar uma antestreia mundial, no passado sábado, 17 de maio. Trata-se da única exibição em sala no mercado francês. O filme foi disponibilizado no mesmo dia na modalidade de vídeo on demand (VOD) na televisão francesa (ver artigo recomendado).

O filme também estreou este fim-de-semana apenas em VOD em Espanha. Itália e Alemanha optam pela distribuição simultânea com ligeiro intervalo (sala primeiro e VOD alguns dias depois); e na Grã-Bretanha será exibido em VOD e sala em junho. A estreia nos Estados Unidos está prevista para agosto ou setembro.
 
O filme terá distribuição em Portugal, mas ainda não foi anunciada a data nem se a estreia ocorrerá em sala de cinema.

por
publicado 17:30 - 18 maio '14

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2014