O lado feminino e escondido da guerra colonial
Protagonistas da guerra: Marta Pessoa valorizou a perspectiva das mulheres que ficaram na metrópole.

QUEM VAI À GUERRA, Marta Pessoa  

O lado feminino e escondido da guerra colonial

Marta Pessoa propõe um novo olhar sobre a guerra colonial através da memória e do testemunho menos conhecido das mulheres, mães e avós dos combatentes.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 O lado feminino e escondido da guerra colonial
Quem Vai à Guerra Já muito se disse, escreveu e filmou sobre a Guerra Colonial e os seus soldados. Mas Marta Pessoa procurou um olhar diferente e debruçou-se sobre as mulheres que cá ficaram à espera do regresso dos maridos, filhos, netos. Um olhar feminino que dá voz ao discurso feminino de uma certa geração – tantas vezes esquecido ou pouco valorizado – de quem esperou na sombra, sofreu, chorou e ajudou os ...
Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Carla Henriques entrevista a realizadora Marta Pessoa

Cinquenta anos após o início do conflito armado, o filme documental "Quem Vai à Guerra" mostra um outro lado dos combates travados por Portugal nas ex-colónias.

O universo dos homens na guerra é sobreposto pelo papel das mulheres: as que ficaram à espera, as que acompanharam os maridos até África, e as que participaram como enfermeiras pára-quedistas.

Filha de um ex-combatente, Marta Pessoa não conhecia a verdadeira realidade da guerra colonial. Passado meio século do início do conflito, a realizadora entende que há
uma série de questões que ficaram mal resolvidas, como "os processos que foram abertos, os apoios que não chegaram aos deficientes, ou as pessoas que ainda vivem as marcas da intervenção militar".

A realizadora quis descobrir "quem realmente foi à guerra". Para Marta Pessoa, um país inteiro combateu. Os que ficaram também estavam lá, com os soldados que serviam em nome de Portugal. As mulheres são essa maioria que ficou, mas sempre com o pensamento nas colónias.

O lado invisível da guerra, o das mulheres é o ponto de partida para a realização do filme. Marta Pessoa ouviu as viúvas, as mães, as irmãs, as esposas. Ao longo de duas horas, são reunidos testemunhos de dezenas de mulheres, que recordam as experiencias e as emoções de um conflito.

"Quem Vai à Guerra" foi rodado num cenário construído a partir de objectos e fotografias que remetem para o contexto bélico. Com recurso a filmagens das próprias mulheres e a imagens e sons de arquivo, o documentário representa a guerra de uma geração.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Português