O melodrama segundoAgnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri

Mais CinemaMais CinemaMais CinemaCinema Europeu  

O melodrama segundo
Agnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri

Reencontro com os actores/argumentistas de "O Gosto dos Outros". Ou como a tradição melodramática do cinema francês se mantém viva e inventiva.

Desde "O Gosto dos Outros" (2000), grande sucesso em França e também além-fronteiras, Agnès Jaoui e Jean-Pierre Bacri têm vindo a edificar um dos mais interessantes universos narrativos do cinema francês. A sua especialidade são os melodramas, ou melhor, as crónicas sociais que envolvem sempre uma teia mais ou menos complexa de relações afectivas — são ambos intérpretes e argumentistas, pertencendo o trabalho de realização a Jaoui.

Volta a ser esse o maior trunfo de "Deixa Chover" (título original: "Parlez-Moi de la Pluie"). Aqui se conta a odisseia mais ou menos sofrida, e paradoxalmente divertida, de uma mulher (Jaoui) que tenta afirmar a sua independência através da construção de uma carreira política; a sua relação com um não muito brilhante "especialista" de relações públicas (Bacri), encarregado de fazer um video sobre a sua trajectória, vai funcionar também como um revelador de uma certa França mediana, esquecida e, afinal, inesperada.

Escusado será sublinhar que o trabalho dos actores aqduire um papel determinante em "Deixa Chover". E não apenas porque são todos impecáveis, incluindo Jamel Debbouze (muito popular no género cómico). Acontece que pelas suas personagens passam tanto as componentes sociais como as forças mais enigmáticas dos comportamentos humanos — nesse sentido, este é também um filme em relação directa com a melhor tradição melodramática da produção francesa.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais CinemaMais CinemaMais CinemaCinema Europeu