O meu palmarés [Tiago Alves]
Sean Penn ("This Must Be The Place", de Paolo Sorrentino)

Cannes 2011  

O meu palmarés [Tiago Alves]

Qual é o nosso lugar? A questão percorreu os filmes mais intensos do 64º Festival de Cannes.

PALMA DE OURO: "A Árvore da Vida", de Terrence Malick
PRÉMIO DO JÚRI: "Le Havre", de Aki Kaurismäki
MELHOR REALIZADOR: Jean Pierre e Luc Dardenne, "Le Gamin au Vélo"
MELHOR ACTOR: Sean Penn em "This Must Be The Place", de Paolo Sorrentino
MELHOR ACTRIZ: Tilda Swinton em "We Must Talk About Kevin", de Lynne Ramsay


This must be the place. A incerteza e inquietação emana da maioria dos 20 filmes exibidos na competição do Festival de Cannes.

Seja:

o lugar de Cheyenne (Sean Penn), a estrela rock que viaja até as suas origens em "This Must Be The Place", do italiano Paolo Sorrentino;

o lugar do refugiado africano que procura abrigo no porto de "Le Havre", uma comédia agri-doce do finlandês Aki Kaurismäki;
 
o lugar do rapaz ("Le Gamin Au Veló") que procura uma referência paternal no novo drama dos irmãos belgas Jean Pierre e Luc Dardenne;

ou o lugar da mãe que questiona o seu papel na educação do filho, em "We Must Talk About Kevin", da escoceça Lynne Ramsay.

Todos estes filmes mostraram como estamos afectivamente deslocados. E nenhum outro como "A Árvore da Vida", forneceu pontos cardeais que permitem perceber o nosso lugar e o tempo que vivemos.

por
publicado 00:31 - 22 maio '11

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2011