O rock e as suas memórias
Sean Penn em "This Must Be the Place": entre o concreto e o abstracto

"This Must Be The Place", de Paolo Sorrentino  

O rock e as suas memórias

Paolo Sorrentino, cineasta italiano, filma pela primeira vez em língua inglesa: "This Must Be the Place" está na competição e centra-se numa grande interpretação de Sean Penn.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 O rock e as suas memórias
Este é o Meu Lugar Cheyenne tem cinquenta anos, é judeu e estrela de rock – música gótica, baton vermelho, maquilhagem branca – mas que já deixou a cena musical. Apesar de levar uma vida confortável em Dublin, vê-se atormentado por um tédio que tende a ver como uma ligeira depressão. No fundo, vive a vida de um homem que se retirou cedo demais. A morte do pai, com quem não falava há muito tempo, leva-o de novo a ...

Quem está na imagem? Robert Smith, voz e imagem emblemática da banda inglesa The Cure? Ou antes... Sean Penn?

É verdade: Sean Penn surge no filme de Paolo Sorrentino, "This Must Be the Place", com um visual que faz lembrar a imagem de marca de Smith (até mesmo na invencível tristeza), mas o filme nada tem a ver com tal referência. Apetece dizer que é mesmo um filme abstracto, ainda que lidando com coisas muito concretas do nosso mundo.

Penn interpreta Cheyenne, uma estrela esquecida do mundo do rock que vive uma existência mais ou menos sonâmbula, em Dublin, com Jane (Frances McDormand). Marcado pelas memórias trágicas da morte de dois fãs, Cheyenne empreende uma viagem à América na sequência das notícias da morte do pai — será o reencontro difícil com um passado pleno de sofrimento.

Não é exactamente um filme sobre a música, mesmo se conta com David Byrne no seu próprio papel (além do mais, assinando a banda sonora original). Poderemos descrevê-lo, talvez, como um exercício romanesco sobre a continuada procura de uma identidade, num clima emocional em que as referências europeias e americanas se cruzam e contaminam (remetendo-nos, inclusivamente, para as memórias do Holocausto).

Provavelmente, nao esperariamos um filme destes do italiano Sorrentino (aqui, pela primeira vez, a dirigir uma obra em ingles). Acima de tudo, "As Consequencias do Amor" (2004) e "Il Divo" (2008) tinham deixado dele a imagem de um autor perdido em muitos e inuteis labirintos formalistas.

"This Must Be the Place" nao estara completamente liberto de tais limitacoes, mas e um ob jecto muito consistente, lidando com a espessura cruel das memorias — e colocando Sean Penn como candidato n. 1 ao premio de interpretacao masculina deste festival.

por
publicado 13:44 - 20 maio '11

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2011