O significado da paternidade
Quatro pais, duas crianças: retrato amplo de família

Cannes dia 4: LIKE FATHER LIKE SON  

O significado da paternidade

A história de uma troca de bebés à nascença permite a Hirozaku Kore-eda explorar de forma cuidadosa a temática da consolidação dos laços familiares entre pai e filho.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 O significado da paternidade
Like Father, Like Son Ryoata, um arquiteto obcecado com o sucesso profissional, forma com a jovem esposa e o filho de 6 anos uma família ideal. Perde todas as suas referências quando a maternidade do hospital onde nasceu o filho lhes comunica que dois recém-nascidos foram trocados: o menino que criou não é seu, e o filho biológico dele cresceu num meio mais modesto...
Média Cinemax:
3.75

É dia de aniversário e o pequeno Keita celebra a data apagando as seis velas. Os pais festejam o momento mas já estão preparados para questionar a ligação com o filho. Dias antes a maternidade contactou-os para os informar que detectaram um erro e que o filho tinha sido trocado por outra criança.

O que se segue é uma reunião das famílias que desencadeia um processo de amadurecimento da decisão difícil de repor a ordem biológica preparando a troca das crianças.

O cineasta japonês Hirozaku Kore-eda aborda a temática dos laços familiares, das expectativas e das responsabilidades dos pais perante uma criança em crescimento, através de um melodrama onde questiona
se o que prevalece mais nas relações entre pais e filhos é o laço de sangue ou a ligação familiar.

O filme coloca em confronto duas famílias distintas, de extratos sociais completamente diferentes e que encaram a paternidade de forma diversa. Um dos pais é um arquiteto que vive concentrado na sua carreira profissional e dedica pouco tempo ao seu filho; o outro gere com dificuldade um negócio nos subúrbios de Tóquio e mantém uma relação afectuosa com a criança.

A gestão familiar deste problema é o centro do filme mas o drama ganha outra intensidade quando acentua a falta de intimidade entre um dos pais e o seu filho. O título japonês significa “Então Torna-se Pai” e isso diz muito sobre a questão mais interior do filme.

Kore-eda escolheu um assunto pouco explorado no cinema mas que encontra eco em dois filmes seus igualmente exibidos no Festival de Cannes, “Ninguém Sabe” (2004) e “I Wish” (2001), onde lidou com abandono ou separação de crianças.

Neste seu novo drama, exibido na competição do festival, o realizador fornece uma resposta ambígua e reconfortante para a definição da paternidade, resolvendo bem o dilema entre o laço biológico e afectivo que cruza toda história.

por
publicado 16:49 - 18 maio '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2013