Manoel de Oliveira  

O último filme de Manoel de Oliveira

A EDP desvendou o documentário inédito concebido para uma campanha da empresa. O filme será exibido publicamente em 10 cidades.

Artigo recomendado:
O último filme de Manoel de Oliveira
Cinema Português
Oliveira ou o regresso da grande aventura Com "Visita ou Memórias e Confissões", Manoel de Oliveira oferece-nos um pessoalíssimo retrato de alguém que, na altura, tinha 73 anos — ou ...

A curta-metragem documental "1 Século de Energia", faz parte do conjunto dos materiais promocionais da nova campanha instituconal da companhia elétrica, e pode ser vista no site da EDP.

O filme retoma imagens de "Hulha Branca", uma curta-metragem de oito minutos, dirigida por Oliveira para a Hidroelétrica de Portugal, sobre a inauguração da central do Ermal, em Guilhofrei, Rio Ave, em 1932.

Oliveira combina estas imagens a preto e branco com outras, filmadas entre o final do ano passado e o início deste ano.

"Hulha branca", que Oliveira assinou com os seus outros apelidos - Cândido Pinto -, sucedeu a "Douro, Fauna Fluvial", o filme de estreia do realizador, e nunca foi apresentado comercialmente.

Teve as primeiras e únicas exibições públicas na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, e no Teatro Rivoli, no Porto, em retrospetivas de 1998 e de 2008, que assinalaram, respetivamente, os 90 anos e os 100 anos do cineasta.

No entanto, o derradeiro filme de Oliveira não será apenas exibido no site da EDP.  Por insistência do próprio realizador, o documentário de 12 minutos será exibido em dez cidades portuguesas.

Braga, Porto (sede da EDP), Aveiro, Coimbra, Leiria, Santarém, Lisboa (museu de eletricidade), Setúbal, Évora, Faro, foram as cidades eleitas. O filme será mostrado na fachada dos edifícios das câmaras municipais para responder à sugestão do realizador que pediu a sua exibição ao público numa parede branca.

Manoel de Oliveira morreu há dois meses, aos 106 anos, na sua casa, no Porto. Era o decano dos cineastas, tendo sido distinguido, entre outros, com uma Palma de Ouro honorária do festival de Cannes, e um Leão de Ouro de Carreira, em Veneza.

"O Velho do Restelo" foi o último filme que estreou, uma reflexão sobre a vida, na qual participaram os atores com quem mais trabalhou - Diogo Dória, Luís Miguel Cintra e Mário Barroso, além de Ricardo Trêpa.

por
publicado 11:30 - 09 junho '15

Recomendamos: Veja mais Artigos de Manoel de Oliveira