Revisitando os tempos atribuladosantes da Queda do Muro de Berlim
Emir Kusturica no papel de Vladimir Vetrov:
memórias da Guerra Fria

Mais CinemaCinema Europeu  

Revisitando os tempos atribulados
antes da Queda do Muro de Berlim

Anos 70/80: "O Caso Farewell" recorda a acção de um elemento do KGB que funcionou como espião para os governos ocidentais, de algum modo antecipando as convulsões que levariam ao fim da Guerra Fria.

O fim da Guerra Fria, com o desmantelamento do império soviético e a Queda do Muro de Berlim, é um processo longo que, como é óbvio, não pode ser reduzido a uma ou duas datas emblemáticas. Nem sequer aos seus protagonistas mais visíveis, a começar por Mikhail Gorbatchev. "O Caso Farewell" é, justamente, um filme que procura dar conta das atribulações da vida de uma personagem secundária, mas afinal determinante, em todo esse processo: Vladimir Vetrov (interpretado pelo cineasta Emir Kusturica), figura importante do KGB que, a partir de meados dos anos 70, foi fornecendo ao Ocidente, mais precisamente ao governo francês, informações vitais sobre a rede de espiões soviéticos na Europa e nos EUA.

O filme de Christian Carion, cineasta francês que conhecemos através de "Uma Andorinha Fez a Primavera" (2001) e "Feliz Natal" (2005), tem a seu favor a própria complexidade dos factos narrados: não só deparamos com uma conjuntura geopolítica tão rica quanto fascinante, como admiramos em Vetrov o sentimento agudo, em grande parte premonitório, de um universo que estava, de facto, a desagregar-se.

Ao mesmo tempo, "O Caso Farewell" possui os limites de uma forma de abordagem dramática que se vai ficando pelas convenções do modelo de telefilme: dir-se-ia que se trata menos de compreender a história, e mais de tratar personagens e situações como figuras estereotipadas de um "destino" que se vai cumprir.

Registe-se, em qualquer caso, que houve uma aposta curiosa de lançamento de "O Caso Farewell" nos EUA, tentando rentabilizar as suas características de thriller político. O eventual impacto do filme nesse contexto pode ser impoprtante para, pelo menos, contrariar um pouco o facto de a produção cinematográfica europeia ter uma presença tão débil no espaço americano -- como bem sabemos, ao contrário do que acontece com os americanos nos circuitos europeus.


 


Poster de  «O Caso Farewell»

O CASO FAREWELL

A acção decorre nos anos 80, durante a Guerra-fria. Sergei Grigoryev, coronel da KGB, decide derrubar o sistema em que já não acredita. Para isso, contacta Pierre Froment, um jovem engenheiro francês, passando-lhe informações confidenciais de grande interesse para os serviços secretos de Paris...

De Christian Carion com Emir Kusturica, Guillaume Canet, Alexandra Maria Lara; Thriller; 113m; M/12; FRA; 2009

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais CinemaCinema Europeu