Salazar, A Vida Privadaou o cinema como telenovela
Diogo Morgado: Salazar em formato televisivo

Cinema PortuguêsMais CinemaCinema Europeu  

"Salazar, A Vida Privada"
ou o cinema como telenovela

"Salazar, a Vida Privada", filme histórico? Não. Apenas o triunfo da normalização televisiva sobre a criatividade cinematográfica


com Diogo MorgadoSe olharmos com atenção esta imagem de Diogo Morgado no papel de António Oliveira Salazar, podemos ter uma primeira noção do simplismo de "Salazar, A Vida Privada": tudo é falso e artificioso neste modo de figurar a personagem; ao mesmo tempo, tudo se expõe "como se" fosse uma representação transparente da história...

De facto, na prática, o que acontece é ainda mais esquemático. Da história, em boa verdade, pouco mais resta do que uma visão mais ou menos anedótica. E, no entanto, o filme parte de um pressuposto que, importa reconhecê-lo, possuiria evidentes e muito interessantes potencialidades dramáticas: retratar Salazar para além da sua imagem asséptica e casta, nomeadamente nas suas relações com as mulheres.

O certo é que rapidamente esse pressuposto se esgota numa caracterização psicológica maniqueísta e numa ambiência puramente retórica — vogamos, afinal, no espaço das mais grosseiras convenções de telenovela.

Fica, por isso, uma pergunta: que esperar de um trabalho cinematográfico que se esgota nas regras daquele que é o mais banal e rotineiro padrão da ficção televisiva?

Sobra apenas uma evidência muito crua: quando a televisão ocupa o espaço do cinema, o cinema desaparece e a televisão limita-se a afirmar o seu mais cruel poder normativo.




SALAZAR - A VIDA PRIVADA

De Jorge Queiroga
com Diogo Morgado, Soraia Chaves, Ana Padrão
Drama, Romance
110m
M/12
PORTUGAL
2009

                   
Ouça a crítica de João Lopes



por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema PortuguêsMais CinemaCinema Europeu