Sandra Bullock em ambientemelodramático... e com um Oscar

Cinema Norte-americanoOscar 2010Mais Cinema  

Sandra Bullock em ambiente
melodramático... e com um Oscar

Este é o filme que deu o Oscar a Sandra Bullock. Através dele, celebra-se também o retorno de uma visão melodramática empenhada em não simplificar as personagens e as suas relações

É uma história de dois mundos, duas dimensões, duas vivências — e do seu dramático cruzamento. De um lado, Michael Oher (Quinton Aaron), jovem negro, filho de uma mãe toxicodependente, acumulando experiências falhadas em vários processos de adopção; do outro, Leigh Anne Tuohy (Sandra Bullock), mãe de uma família branca, que descobre em Michael uma vulnerabilidade e um desamparo que mobilizam todo o seu ser.

Se dúvidas houvesse sobre o retorno de Hollywood aos pressupostos clássicos do melodrama, este The Blind Side (entre nós traduzido por um não muito feliz Um Sonho Possível) bastaria para as dissipar. O filme escrito e dirigido por John Lee Hancock vem mostrar que é possível continuar a produzir um cinema atento às convulsões do tecido social e, sempre, próximo das mais discretas nuances das emoções individuais.

Ao distinguir Sandra Bullock com o Oscar de melhor actriz, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood não se limitou a celebrar uma invulgar performance, misto de subtileza e intensidade. Ao mesmo tempo, o prémio para Bullock é o reconhecimento de que continua a ser possível oferecer às actrizes papéis que não as obriguem a fingir uma "juventude" mais ou menos fútil e estúpida — uma grande personagem não faz ncessariamente uma grande interpretação... mas ajuda.
 

 


Poster  de «Um Sonho Possível»

UM SONHO POSSÍVEL

Michael Oher, um teenager sem abrigo, sobrevive como pode na rua. Leigh Anne Tuohy reconhecendo-o como colega de escola da sua filha, insiste para que ele saia do frio e leva-o a passar a noite para a sua casa. O que começou com um gesto de ternura, tornou-se em algo mais, quando Michael passou a fazer parte da família Tuohy.

De John Lee Hancock com Jae Head, Quinton Aaron, Sandra Bullock; Drama; 128m; M/12; EUA; 2009

>Ouça a crítica de João Lopes 

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Norte-americanoOscar 2010Mais Cinema