Scott Pilgrim, um herói adolescentenum filme pop aos quadradinhos
Scott Pilgrim (Michael Cera) e a sua namorada Ramona (Mary Elizabeth Winstead)
um par romântico para a geração dos video jogos

Mais CinemaComédia  

Scott Pilgrim, um herói adolescente
num filme pop aos quadradinhos

Uma banda desenhada de culto chega ao cinema com referências suficientes para alargar o universo de fãs.

Quem ainda não conhece as histórias de Brian Lee O'Malley não estranha a ousadia da adaptação ao cinema, mas este é um universo delicado algures entre a BD japonesa e os comics americanos.

Scott Pilgrim é um jovem adulto, de Toronto, no Canadá, entregue a uma existência banal e dedicado a uma banda de rock. A rotina do protagonista é quebrada quando encontra Ramona, uma rapariga invulgar e diferente, com um passado difícil de digerir, marcado por antigas relações que são projectadas em sete figuras maléficas que Scott Pilgrim vai ter de enfrentar e vencer.


O realizador Edgar Wright faz a adaptação de um dos seis volumes da BD, impregnada de referências de uma geração, temperada pela música, os video jogos, a televisão e toda uma galeria pop.

O resultado tem saldo positivo na opinião de Hugo Teixeira, autor de banda desenhada, convidado a apresentar um dos volumes da BD no festival da amadora - estão lá todos os traços dos geeks, e não só, de toda uma geração sub 35.

O filme recusa por completo o contexto realista da história ao construir uma galeria de personagens de papel, encaixadas num cenário em formato de jogo, onde o protagonista vai subindo de nível a cada adversário que consegue derrubar.

O actor Michael Cera, que já foi protagonista do cinema mais independente no filme "Juno", volta a dar a cara por uma geração. E do lado dos vilões, surgem nomes como Chris Evans ou Jason Schwartzman, que não são propriamente estrelas de cinema teenager.

"Scott Pilgrim Contra o Mundo" arrisca tudo na ligação com a banda desenhada, e por isso pode afastar o público mais maduro. No entanto joga uma cartada segura para os fãs da BD e para uma geração que está habituada ao grafismo e à velocidade estonteante com que se pode contar uma história.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Mais CinemaComédia