The Grand Tour de Miguel Gomes e Justa de Teresa Villaverde recebem apoio do Eurimages

Cinema Português  

"The Grand Tour" de Miguel Gomes e "Justa" de Teresa Villaverde recebem apoio do Eurimages

O fundo europeu de coproduções vai distribuir 6,7 milhões de euros por 24 longas-metragens.

Dois projetos cinematográficos dos realizadores Miguel Gomes e Teresa Villaverde vão receber apoio financeiro do Conselho da Europa, por via do programa Eurimages, foi hoje anunciado.

De acordo com o Conselho da Europa, o programa de apoio a coproduções do Eurimages, com um total de 6,7 milhões de euros, vai contemplar 24 produções de longas-metragens, entre as quais "Justa", de Teresa Villaverde, e "The Grand Tour", de Miguel Gomes.

"Justa", que receberá 415.000 euros do Eurimages, é produzido e realizado por Teresa Villaverde, em coprodução com França, e conta ainda com apoio financeiro do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) e da RTP. O orçamento total ronda 1,5 milhões de euros, de acordo com a cineasta.

"O projeto começou a ser desenvolvido depois dos terríveis fogos de 2017 em Portugal, mas é uma ficção livre" sobre "um pequeno grupo de sobreviventes, todos homens, que perderam as mulheres nos incêndios, e uma criança. Todos a aprender a viver nas suas novas condições", explicou a realizadora à agência Lusa.

O elenco contará, entre outros, com o ator sérvio Miki Manojlovic, o francês Robinson Stevenin e os portugueses Francisco Nascimento e Filomena Cautela.

Teresa Villaverde disse ainda que o filme será feito nos concelhos de Oleiros, Pampilhosa da Serra e Lousã e que a rodagem arranca em janeiro.

"The Grand Tour" é uma longa-metragem de ficção de Miguel Gomes que receberá 500 mil euros de apoio do Eurimages e que será rodada em 2023 em Portugal e em Itália, referiu à Lusa a produtora Filipa Reis, de Uma Pedra no Sapato.

O filme, que também tem apoio financeiro do ICA, é uma coprodução com Itália, França e Alemanha e tem argumento coassinado por Miguel Gomes, Mariana Ricardo, Telmo Churro e Maureen Fazendeiro.

O filme acompanhará "os noivos Edward e Molly, em 1918, da Birmânia à China, numa viagem emocional e física, ligando o Oriente e o Ocidente, género e sexo, tempo e espaço, realidade e ficção, mundo e cinema", lê-se na sinopse divulgada na publicação Cineuropa.

Em 2021, quando estreou "Diários de Ostoga", feito com Maureen Fazendeiro, Miguel Gomes explicou à Lusa que "The Grand Tour" seria um filme de estúdio, embora a narrativa ficcional se passe no Oriente.

Na preparação deste filme, ainda antes da pandemia da covid-19, Miguel Gomes conseguiu fazer um arquivo de viagem na Ásia, para traçar o trajeto das personagens, remetendo grande parte das filmagens agora para 2023.

Miguel Gomes tem ainda em desenvolvimento o filme "Selvajaria", que adapta o livro "Os sertões", de Euclides da Cunha, a rodar no Brasil e com elenco brasileiro.

Este é o terceiro lote de apoio financeiro a produções de cinema anunciado este ano pelo programa Eurimages.

Em junho, na segunda sessão de avaliações, com uma verba total de 6,5 milhões de euros, foi anunciado que entre os projetos a apoiar estava "Sob a chama da candeia", de André Gil Mata (140 mil euros).

A ele juntam-se ainda outros projetos que envolvem coprodutoras nacionais: "The Rye Horn", da espanhola Jaione Camborda Coll, entre Espanha, Bélgica e Portugal, com 312 mil euros, e "Re-Writing", do espanhol Victor Iriarte, a receber 232 mil euros, numa coprodução entre Espanha, Portugal e França.

Nos apoios anunciados em março, o Eurimages revelou que o documentário "Nha Terra Nha Força", de Paulo Carneiro, receberia 49 mil euros.

por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cinema Português