Ucrânia, Irão e a busca pela liberdade dominam o Festival de Berlim

Festival  

Ucrânia, Irão e a busca pela liberdade dominam o Festival de Berlim

O filme de Sean Penn sobre o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, filmado há um ano, estará entre os títulos do festival do próximo mês, onde Steven Spielberg receberá um prémio de carreira.

O Festival de Cinema de Berlim anunciou segunda-feira de manhã o alinhamento da 73.ª edição. Uma seleção tematicamente ligada pela preocupação com o melodrama e amor, mas também profundamente ligada à realidade, de acordo com diretor artístico Carlo Chatrian que aapresentou a selecção oficial.

Uma selecção que pretende ser o mais aberta possível a todas as formas cinematográficas e onde cabem filmes de animação, documentários, comédias e filmes de época.

Escolhas que incluem desde "Algum dia contaremos tudo um ao outro" de Emily Atef, sobre o perigo e a violência do amor adolescente, até "Disco Boy" de Giacomo Abbruzzese, sobre um bielorrusso que se junta à Legião Estrangeira Francesa.

A competição também abrirá espaço para a animação "Suzume", uma viagem através do arquipélago japonês, do realizador Makoto Shinkai, descrito por Chatrian como um "poeta da juventude".

Sean Penn e Aaron Kaufmann apresentam "Superpower", um retrato do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy rodado há um ano, em Kiev, quando os tanques russos atravessaram a fronteira da Ucrânia, dando início ao maior conflito na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

"A Berlinale terá lugar exactamente um ano depois", disse Chatrian. "E talvez Berlim seja mais relevante do que outros lugares, porque estamos perto da Ucrânia, porque há povo ucraniano a viver em Berlim".

Com as raízes no enclave de Berlim Ocidental, na linha da frente da Guerra Fria, a Berlinale vê-se como um festival declaradamente político, e Chatrian foi claro ao afirmar que a 73ª edição destacará as lutas pela liberdade na Ucrânia e no Irão exibindo dezenas de filmes de e sobre ambos os países.

Na competição pelos Ursos de Ouro e de Prata estão representadas produções de 19 países.

Entre os nomes mais conhecidos, Philippe Garrel apresenta "Le grand chariot", sobre um grupo de marionetistas; Margarethe Von Trotta dirige Vicki Krips em "Ingeborg Bachmann – Reise in die Wüste"; e Christian Petzold estreia "Roter Himmel".

O português João Canijo compete com "Mal Viver".

A atriz e realizadora norte-americana Kristen Stewart será a presidente do júri.

O Festival de Cinema de Berlim decorre entre 16 e 26 de fevereiro.

Seleção oficial do 73.º Festival de Cinema de Berlim

Sessão especial

"Superpower", Sean Penn e Aaron Kaufmann

Competição internacional

"20.000 especies de abejas", de Estibaliz Urresola Solaguren (Espanha)
"Bai Ta Zhi Guang" (The Shadowless Towerm), de Zhang Lu (China)
"Bis ans Ende der Nacht" (Till the End of the Night), de Christoph Hochhäusler (Alemanha)
"BlackBerry", de Matt Johnson (Canadá)
"Disco Boy", de Giacomo Abbruzzese (França, Itália, Polónia, Bélgica)
"Le grand chariot", de Philippe Garrel (França, Suíça)
"Ingeborg Bachmann – Reise in die Wüste" (Ingeborg Bachmann – Journey into the Desert), de Margarethe von Trotta (Alemanha, Suíça, Áustria, Luxemburgo)
"Irgendwann werden wir uns alles erzählen" (Someday We’ll Tell Each Other Everything), de Emily Atef (Alemanha)
"Limbo", Ivan Sen (Austrália)
Mal Viver, de João Canijo (Portugal, França)
"Manodrome", de John Trengove (Reino Unido, EUA)
"Music", de Angela Schanelec (Alemanha, França, Sérvia)
"Past Lives", de Celine Song (EUA)
"Roter Himmel" (Afire), de Christian Petzold (Alemanha)
"Sur l’Adamant", de Nicolas Philibert (França, Japão)
"The Survival of Kindness", de Rolf de Heer (Austrália)
"Suzume", de Makoto Shinkai (Japão)
"Tótem", de Lila Avilés (México, Dinamarca, França)

Secção Encontros

"Adentro mío estoy bailando", Leandro Koch e Paloma Schachmann (Áustria, Argentina)
"The Adults", Dustin Guy Defa (EUA)
"El Eco", Tatiana Huezo (México, Alemanha)
"Here", Bas Devos (Bélgica)
"Im totem Winkel" (In the Blind Spot), Ayse Polat (Alemanha)
"Kletka ishet ptitsu" (The Cage is Looking for a Bird The Cage is Looking for a Bird), Malika Musaeva (França, Rússia)
"Mon Pire Ennemi", Mehran Tamadon (França, Suíça)
"Müanyag égbolt" (White Plastic Sky), Tibor Banoczki e Sarolta Szabo (Hungria, Eslováquia)
"mul-an-e-seo" (In Water), Hong Sangsoo (Coreia do Sul)
"Mummola" (Family Time), Tia Kouvo (Finlândia, França)
"Le Mura di Bergamo", Stefano Savona (Itália)
"Orlando, ma biographie politique", Paul B. Preciado (França)
"Samsara", Lois Patiño (Espanha)
"Shidniy front" (Eastern Front), Vitaly Manisky, Yevhen Titarenko (Letónia, República Checa, Ucrânia, EUA)
"Viver Mal", João Canijo (Portugal, França)
"Xue yun" (Absence), Wu Lang (China)

por
publicado 14:00 - 23 janeiro '23

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival