Veneza, dia 1: nos bastidores da política
George Clooney, governador, e Ryan Goslin, assessor: relações sombrias nos bastidores políticos

"NOS IDOS DE MARÇO", de George Clooney  

Veneza, dia 1: nos bastidores da política

O festival de Veneza abre com uma olhar desapontado de George Clooney sobre o modo de fazer política.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Veneza, dia 1: nos bastidores da política
Nos Idos de Março Drama político centrado na campanha de um candidato democrata à presidência dos Estados Unidos. Sthephen Myers (Ryan Gosling) é um jovem e ambicioso director de comunicação que não olha a meios para promover o seu candidato, o governador Mike Morris (George Clooney).
Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Diário de Veneza, dia 1: "Nos Idos de Março" "
Média Cinemax:
3.667

O início do Festival de Veneza não podia ser mais político. Em tempo de crise - económica, certo, mas também de valores - o festival coloca em cena, na noite de abertura, um drama político atual sobre a forma de fazer... política.

Déjà vu em Veneza? Clooney regressa ao festival com um filme onde aborda as implicações do relacionamento entre a classe política e a comunicação social, algo que já tinha tratado em outros dois filmes: "Confissões de uma Mente Perigosa", sobre a televisão e os poderes obscuros, e "Boa Noite, e Boa Sorte", centrado no papel ativo do jornalista Edward R. Murrow.

Em "Nos idos de Março", Clooney aborda os meandros da candidatura do governador Mike Morris (interpretado pelo proprio George Clooney), durante as primárias do partido democrata no Ohio.

O drama coloca em cena os compromissos obscuros que garantem o sucesso de uma candidatura política e permitem criar uma determinada imagem de um candidato.

Clooney está menos interessado na verdade e mais focado no processo que leva a criar uma percepção de uma determinada realidade, sendo muito preciso no modo como estabelece as relações entre os protagonistas do processo político.

O filme inaugural do festival de Veneza é um déjà vu positivo e deve ter reconhecimento na próxima temporada de prémios, nomeadamente através de Ryan Goslin, o seu ator principal. Este é um ano marcante para Goslin (surge com bons desempenhos em "Nos Idos de Março" e "Drive") e poderá ser nomeado Oscar melhor ator, repetindo algo que tinha lhe tinha sucedido em "Half Nelson - Encurralados".


por
publicado 12:04 - 31 agosto '11

Recomendamos: Veja mais Artigos de Veneza 2011