Veneza, dia 4: a fé e a loucura
Philip Seymour Hoffman e Joaquim Phoenix: uma relação complexa entre mestre e discípulo.

THE MASTER, Paul Thomas Anderson  

Veneza, dia 4: a fé e a loucura

"The Master" é um retrato psicológico do relacionamento complexo entre dois homens.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Veneza, dia 4: a fé e a loucura
The Master - O Mentor Um retrato pungente de gente à deriva e em busca de algo para fazer, na América do pós Segunda Guerra Mundial, THE MASTER, de Paul Thomas Anderson, revela-nos a viagem de um veterano da Marinha, Freddie (Joaquin Phoenix), que chega a casa vindo da Guerra indeciso e inseguro em relação ao futuro, até se deixar seduzir pela Causa e pelo seu carismático líder, Lancaster Dodd (Philip Seymour ...
Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Veneza dia 4 - Paul Thomas Anderson apresenta The Master

Paul Thomas Anderson nunca opta pelo caminho mais previsível. O seu primeiro filme em cinco anos foi sendo anunciado como uma abordagem das origens e dos fundamentos da Igreja da Cientologia, mas o realizador contrariou essa abordagem.

"The Master" é um drama psicológico centrado na relação entre dois homens muito diferentes: Freddie Quell (Joaquin Phoenix), um soldado perturbado pela sua experiência recente na II Guerra Mundial, com comportamentos erráticos e desviantes, e Lancaster Dodd (Philip Seymour Hoffman), um cavalheiro sedutor, que orienta um culto designado por A Causa.

Dodd acolhe Quell e leva-o numa viagem entre San Francisco e Nova Iorque destinada a divulgar os princípios religiosos do movimento e a promover uma série de sessões onde as pessoas são submetidas a um inquérito minucioso, revelando as suas memórias íntimas e mais perturbadoras, de modo a libertar a mente de impulsos indesejáveis e restaurar um comportamento socialmente perfeito.

Essa é a terapia que Dodd aplica a Quell, mas o mestre nunca quebra o espírito indomável do seu discípulo. O filme é um exaustivo retrato psicológico destes dois homens, consolidando uma ligação muito dinâmica baseada na enorme amizade e na admiração que ambos sentem pelos aspetos que os diferenciam.

A Cientologia nunca é mencionada mas esta Causa tem princípios semelhantes aos professados nos escritos L. Ron Hubbard, o fundador dessa igreja: o facto de Dodd viver num barco, o modo como conduz os interrogatórios, as referências às viagens espirituais no tempo, e a própria época.

Através destes elementos concretos, Paul Thomas Anderson escreveu um argumento que contextualiza a relação entre as personagens, servindo o seu propósito de investigar a vulnerabilidade humana e as fronteiras entre loucura e sanidade.

"The Master" surge como um  prolongamento de "Haverá Sangue", na abordagem de um grande tema da humanidade (agora a fé, antes o capitalismo...) e no retrato de figuras perturbadas - Joaquin Phoenix tem um papel complexo e distinto, de um sociopata, à semelhança de Daniel Day Lewis.

Em termos sonoros, as orquestrações minimais e tensas de Jonny Greenwood criam, igualmente, um ambiente etéreo e obsessivo. E no plano visual permanece o mesmo gosto por experimentar enquadramentos distintos e utilizar a paisagem como elemento narrativo.

Paul Thomas Anderson é o primeiro realizador norte-americano a filmar em 70 mm desde 1992, quando Ron Hoarwd rodou "Horizonte Longínquo" - e o resultado dessa opção é visualmente muito impressivo. Não obstante, o filme terá dificuldade em encontrar as condições ideiais de projeção na esmagadora maioria das salas de cinema...

por
publicado 19:30 - 02 setembro '12

Recomendamos: Veja mais Artigos de Veneza 2012