Veneza, dia 6: um triunfo europeu
Gary Oldman, o espião veterano de "A Toupeira": um dos grandes desempenhos de um ator veterano

"A TOUPEIRA", de Thomas Alfredson  

Veneza, dia 6: um triunfo europeu

O clássico de espionagem de John le Carré ganha uma versão cinematográfica com textura psicológica e ótimos desempenhos.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Veneza, dia 6: um triunfo europeu
A Toupeira Década de 70 do Século XX. George Smiley (Gary Oldman), é um espião veterano, recentemente aposentado do MI6, os serviços secretos britânicos. Smiley é forçado a investigar os seus antigos colaboradores para descobrir um agente infiltrado e que transmite informações para os serviços secretos soviéticos.
Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Veneza 2011, dia 6: "A Toupeira"
Média Cinemax:
3.125

O festival de Veneza asssitiu a um notável regresso ao passado, ao período da guerra fria, e à escrita de John le Carré. "A Toupeira - "Tinker, Tailor, Soldier, Spy", (estreia em Portugal dia 8 de dezembro) retoma uma trama clássica de espionagem nos bastdiores do MI6, os serviços secretos britânicos.

O thriller é construído em torno da figura de George Smiley (Gary Oldman), um espião veterano e retirado, que a partir do exterior investiga o passado e as ações conduzidas pelos seus antigos colegas para descobrir qual é o agente infiltrado, a toupeira, que passa informação dos serviços ingleses aos soviéticos.

O festival de Veneza está a ser memorável em termos de desempenhos masculinos. E aqui estamos perante mais uma notável composição. Gary Oldman interpetra Smiley com uma serenidade calculada e uma intensidade sombria. É preciso recuar ao início da década de 90 ("Drácula" de Francis Ford Coppola e "JFK", de Oliver Stone) para encontrar um desempenho com esta qualidade.

O filme é um triunfo dos atores britânicos - Colin Firth, Tom Hardy, Mark Strong e Toby Jones - e da produção europeia. Desde logo da companhia inglesa Working Title, mas também do tudio Canal que assumiu 30% do projeto na sequência do desinteresse dos estúdios Universal.

O realizador sueco Tomas Alfredson supera o desafio da segunda longa-metragem, confirmando as boas indicações que tinha deixado no filme de vampiros "Deixa-me Entrar". O seu olhar revela uma atenção muito grande ao pormenor e valoriza bem os detalhes que fazem a diferença em cada cena, definindo muito bem a intensidade dos ambientes de um thriller.

"A Toupeira" é um filme de espionagem clássico por excelência e a sua adaptação triunfal confirma que as boas histórias da guerra fria imaginadas por John le Carré, ainda podem ser interessantes, apesar da distância do período histórico que evocam.

por
publicado 18:35 - 05 setembro '11

Recomendamos: Veja mais Artigos de Veneza 2011