Veneza, dia 8: no teatro de Oliveira
Oliveira dirige Leonor Silveira e Michael Lonsdale: dois desempenhos consistentes em "O Gebo e a Sombra".

O GEBO E A SOMBRA, de Manoel de Oliveira  

Veneza, dia 8: no teatro de Oliveira

O decano dos realizadores concretiza um projeto atual, sobre o dinheiro e a família.

Trailer/Cartaz/Sinopse:
 Veneza, dia 8: no teatro de Oliveira
O Gebo e a Sombra Apesar da idade e do cansaço, Gebo persegue a sua actividade de contabilista para sustentar a família. Vive com a mulher, Doroteia, e a nora, Sofia, mas é a ausência do filho, João, que os preocupa. Gebo parece esconder algo em relação a isso, em particular a Doroteia, que vive na espera ansiosa de rever o seu filho. Sofia, do seu lado, espera também o regresso do marido, ao mesmo tempo que o ...
Cinemax Rádio:
Outros Áudios
Veneza dia 8 - Apresentação de "O Gebo e a Sombra" novo filme de Manoel Oliveira

Simplicidade e rigor marcam a mais recente obra de Manoel de Oliveira, exibida em ante-estreia mundial na seleção oficial fora de competição do Festival de veneza.

Em “O Gebo e a Sombra”, filme rodado em 25 dias, num estúdio, Oliveira encena uma peça de Raul Brandão, preservando o pessimismo angustiado e a denúncia das desigualdades e injustiças que motivaram o escritor em 1923.

Gebo (Michael Lonsdale) é um contabilista honesto que faz um esforço imenso, em tempo de penúria, para sustentar a família. Resignado à sua condição ele esforça-se por esconder da mulher, Doroteia (Claudia Cardinalle), que o seu filho (Ricardio Trepa), é um criminoso desaparecido.

Oliveira assume o interesse pelo tema da pobreza, mas a sua perspetiva moral é bem mais contemporânea, focando o modo como o dinheiro corrompe as relações.

Esta pequena peça de teatro permite-lhe valorizar o espaço nobre da família e focar o tema da pobreza através de uma perspetiva moral mais contemporânea, focando o modo como o dinheiro corrompe as relações – nesse sentido persiste como modelo de uma relação sólida a que Gebo estabelece com a Nora Leonor Silveira), que aceita ser a sua cúmplice no encobrimento do carácter do filho.

Trata-se de um filme com um texto exemplarmente bem interpretado pelos seus atores, em confronto minuciosamente encenado numa sala - Michael Lonsdale define o tom de represetanção com o seu Gebo resignado, mas no elenco sobressaem Jeanne Moreau e Leonor Silveira num papel que ganha força através de uma presença silenciosa mas muito expressiva.
 
Oliveira continua focado e objetivo na concretização dos seus pequenos filmes, onde controla todos os aspetos artísticos e atinge a perfeição do seu cinema.

por
publicado 15:35 - 06 setembro '12

Recomendamos: Veja mais Artigos de Veneza 2012