WILLIAMS, John
John Williams, nome emblemático da história da música em cinema

DVD Memória  

WILLIAMS, John

Filmes como "Tubarão", "A Guerra das Estrelas" ou "Os Salteadores da Arca Perdida" conferem um lugar muito especial ao compositor John Williams na história das relações entre música e cinema — já ganhou cinco Oscars.

Como bem sabemos, Meryl Streep é um caso especial na história dos Oscars: nada mais nada menos que 21 nomeações, recorde entre os actores e actrizes. Em todo o caso, quando observamos a história mais geral de todas as personalidades mais vezes nomeadas para um Oscar, importa não esquecer que o compositor John Williams é o recordista absoluto: já foi nomeado 51 vezes — e a 51ª foi este ano com o novo episódio de “Star Wars”.


A obra de John Williams é imensa e imensamente diversificada. Aliás, é preciso recordar também que ele não é apenas um compositor de cinema, tendo um impressionante curriculum que inclui música de câmara, concertos para violino e orquestra e várias sinfonias. De qualquer modo, é um facto que o seu nome está fortemente associado à dimensão mais espectacular do cinema — de “Star Wars”, com George Lucas, às aventuras de Indiana Jones filmadas por Steven Spielberg.


Escutamos esta música e lembramo-nos logo de Harrison Ford, com o seu chapéu e o emblemático chicote. Mas não podemos condensar a história do compositor nos seus trabalhos mais conhecidos. O nome de John Williams tem estado também associado a diversas canções que se tornaram símbolos exemplares de alguns filmes. Um dos casos mais singulares está na banda sonora do primeiro título da série “Sozinho em Casa”, com Macaulay Calkin — foi John Williams que compôs o cântico de Natal “Somewhere in My Memory”; aconteceu em 1991.


John Williams celebrou 86 anos no dia 8 de Fevereiro de 2018. Já ganhou cinco Oscars, o último dos quais em 1994, com “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg. O certo é que as suas canções nunca foram reconhecidas por qualquer estatueta dourada. Ainda assim, o seu trabalho nesse campo há muito se fixou no imaginário da música popular. Recordemos o caso de “Moonlight”, tema com data de 1995, composto para a banda sonora de “Sabrina”, de Sydney Pollack. “Moonlight” surgia no genérico final, na voz elegante e enigmática de Sting — é uma canção genuinamente romântica, apetece dizer, à moda antiga.


* Eis o tema de "Tubarão" (1975), de Steven Spielberg, numa performance da Boston Pops Orchestra dirigida pelo próprio John Williams.

por
publicado 23:39 - 27 abril '18

Recomendamos: Veja mais Artigos de DVD Memória