Wang Bing ganha DocLisboa
"San Zimei" (Três Irmãs): retrato da China rural realziado por Wang Bing.

Festival  

Wang Bing ganha DocLisboa

"Três Irmãs", de Wang Bing ganhou competição internacional. Primeira obra de Salomé Lamas recebeu quatro prémios.

A longa-metragem "San Zimei", do realizador chinês Wang Bing, conquistou o Grande Prémio da competição internacional da 10ªa edição do Doclisboa - Festival Internacional de Cinema.

"San Zimei" (Três Irmãs), é sobre a vida de três crianças numa pequena aldeia de uma região montanhosa em Yunnan, na China. Trata-se de uma coprodução da França e Hong Kong premiada este ano no Festival de Veneza, na secção Horizontes.


Ainda na competição internacional, o Prémio Especial do júri foi atribuído a "The Anabasis of May and Fusako Shigenobu, Masao Adachi and 27 Years without Images", de Eric Baudelaire, e uma menção especial foi atribuída a "Sofia's Last Ambulance", de Ilian Metev.

O Prémio Siemens para melhor curta-metragem da competição internacional, no valor de 2.500 euros, foi para "Dusty Night", de Ali Hazara, e o júri também atribuiu uma menção especial a "Relocation", de Pieter Geenen.

O Prémio Revelação - Fast Forward, para a melhor primeira obra transversal à competição internacional, investigações e riscos, no valor de 3.000 euros, foi para o filme "Espoir Voyage", de Michel K. Zongo.

O Prémio Universidades - da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa para melhor longa-metragem da competição internacional, no valor de 1.500 euros, foi para "Babylon", de Youssef Chebbi, Ismal, e Ala Eddine Slim.

"Un Mito Antropologico Televisivo", de Alessandro Gagliardo, Maria Helene Bertino, e Dario Castelli recebeu o Prémio RTP2 para melhor documentário de investigação, no valor de 4.000 euros e que inclui a compra dos direitos televisivos para Portugal.

Na competição nacional, o Prémio Liscont para melhor longa-metragem portuguesa, no valor de 5.000 euros, foi para "Terra de Ninguém", de Salomé Lamas, e "Amanhecer a Andar", de Sílvia Firmino, recebeu uma menção especial.

O Prémio Jameson para melhor primeira obra - primeira ou segunda longa-metragem - no valor de 1.750 euros, foi também para "Terra de Ninguém", de Salomé Lamas. O filme centra-se num comando transformado em mercenário, que recupera memórias em jeito de confissão.

Este mesmo filme conquistou ainda os prémios: Escolas/Restart para melhor longa-metragem portuguesa e o Prémio do Público - Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias para melhor longa-metragem portuguesa.

"Aux Bains de la Reine", de Maya Kosa e Sérgio da Costa recebeu o Prémio Canon para melhor curta-metragem portuguesa, no valor de 2.500 euros, e "A Nossa Casa", João Rodrigues, recebeu também uma menção especial.

O Prémio para a melhor longa-metragem dos Países de Língua Portuguesa, no valor de 1.500 euros, foi atribuído a "Cativeiro", de André Gil Mata.

"Aux Bains de la Reine", de Maya Kosa e Sérgio da Costa recebeu o Prémio Canon para melhor curta-metragem portuguesa, no valor de 2.500 euros, e "A Nossa Casa", João Rodrigues, recebeu uma menção especial.


por

Recomendamos: Veja mais Artigos de Festival