Cultura

Davide Freitas vence prémio Edmundo Bettencourt (áudio)

Com o romance «Não se pode entrar duas vezes no mesmo rio». O autor explica que a obra de 120 páginas tem como tema principal o jornalismo e a transição digital.

Davide Freitas, vencedor do prémio Edmundo Bettencourt| Antena 1

O romance foi escrito em 2015, no período da Troika.

Davide Freitas é um madeirense bibliotecário de 46 anos, residente no continente.

Foi rejeitado por várias editoras, antes de receber este prémio monetário de 3 mil euros.

O prémio literário Edmundo Bettencourt foi criado em 1996 pelo municipio do Funchal, com o objetivo de homenagear o ilustre poeta madeirense.

Interrompido desde 2012, esta 14.ª edição contou com a participação de oito concorrentes.

O madeirense Eduardo Quina venceu a menção honrosa com o livro de poesia intitulado "Marionetas".

Leonor Coelho, membro do júri, explicou a obra em representação do autor que não marcou presença na cerimónia

As inscrições para a 15.ª edição do prémio Edmundo Bettencourt podem ser efetuadas até o dia 31 de março.