Cultura

Museu da Baleia da Madeira promove ciclo de cinema a partir deste sábado

O jardim do Museu da Baleia da Madeira volta a ser o palco da 3ª edição do ciclo de cinema - CineMar 2019, que se realizará semanalmente, aos sábados, pelas 21h00, nos dias: 22, 29 de junho, 06 e 20 de julho.

Vão ser exibidos filmes com temáticas em linha com a missão do museu, sendo o mar e o meio marinho uma constante nos argumentos escolhidos, representativos de importantes condutas quando se trata da conservação dos recursos naturais.

Este ano, o ciclo de cinema conta com a apresentação de 4 curtas-metragens, exibidas antes de cada filme, em colaboração com o Centro de Informação Europe Direct Madeira, através da iniciativa #EUandME, que tem por objetivo divulgar o contributo da União Europeia e as ferramentas que disponibilizam para apoiar a vida quotidiana.

O ciclo de cinema terá início com o filme The Big Blue, inspirado na vida dos mergulhadores Jacques Mayol e Enzo Maiorca, precedido de uma aula de Pilates, às 20h30, orientada pela Fisioterapeuta Carolina Caldeira, seguida da curta-metragem The Shape, que aborda o tema dos direitos fundamentais, nomeadamente o direito de expressão.
No segundo dia, o programa é direccionado para o público infantil, mas que agrada a miúdos e graúdos. Assim pelas 20h00, teremos a “Hora do conto” semanal, que excepcionalmente será realizada à noite e que inclui uma atividade alusiva à história. Pelas 21h00, será exibida Oona, a curta-metragem que destaca a política ambiental da União Europeia, seguida do filme Vaiana, em versão portuguesa, um filme de banda desenhada que tem subjacente a mensagem de respeito pela natureza.

O terceiro filme Libertem Willy 3 aborda problemáticas associadas às atividades humanas e o impacto que têm no meio marinho, alertando para a necessidade de respeitar e proteger as espécies com a finalidade de manter o equilíbrio dos recursos naturais e dos ecossistemas. Este dia, 6 de julho, será especial porque contamos com a presença do ilustre cantor Júlio Nunes, que nos presenteia com a emblemática cantiga “A minha terra é o Caniçal”. A curta-metragem Party Animal antecede o filme, demonstrando-nos que a atitude proactiva e o empenho que cada um de nós coloca nas suas acções, esbatem a fronteira entre os sonhos e a realidade.

A encerrar este ciclo de cinema, será exibido o filme Aquaman, uma história do domínio do fantástico, que para além de nos deliciar com paisagens subaquáticas fantásticas, sinaliza a problemática do lixo nos oceanos e a sua preservação. A curta-metragem Debut, precede o filme e consciencializa-nos para o respeito da liberdade individual, fazendo-nos refletir que urge implementar um mundo mais justo e igualitário.

Todas as sessões são gratuitas.