Desporto

Evans e Rovanperä separados por 5,7 segundos

A 55.ª edição do Vodafone Rally de Portugal promete emoção até ao último quilómetro, com Elfyn Evans e Kalle Rovanperä a entrarem no derradeiro dia de competição separados por escassos 5,7 segundos

Evans e Rovanperä separados por 5,7 segundos
Num cenário próprio de heróis de ação, entre troços demolidores e condições imprevisíveis, que alternaram entre tempo seco e períodos de chuva, dois companheiros de equipa na Toyota chegam ao final dos primeiros 16 troços do rali (289,47 km ao cronómetro) separados por 5,7 segundos. 

Kalle Rovanperä (três vitórias em especiais) e Elfyn Evans (duas) ganharam cinco dos sete troços deste sábado, um dia que o jovem finlandês começou a 13,6s do seu companheiro de equipa.

Foi nas segundas passagens por Cabeceiras de Basto (22,03 km) e, principalmente, Amarante (37,24 km), o troço mais longo do rali, que Rovanperä começou a ‘abrir’ o livro e a mostrar por que motivo está a caminho do seu primeiro título no WRC. 

O menino-prodígio de 21 anos chegou à Super Especial do Porto com 4s de vantagem sobre Evans e ainda ganhou mais 1,7s no escorregadio empedrado da Foz. 

Aliás, nestas condições de aderência mínima, os mais rápidos foram os concorrentes do WRC2, liderados por Josh McErlean, com um Skoda Fabia Rally2 evo! “Foi mais um dia traiçoeiro, mas sem problemas. Podemos estar contentes”, afirmou Rovanperä, depois de mais um golpe desferido a Evans. “Detesto ordens de equipa. Já quando corria não gostava e não o vou fazer agora”, afirmou Jari-Matti Latvala, o diretor da equipa Toyota. O duelo promete aquecer ainda mais, amanhã, nos últimos 48,87 quilómetros do rali.

Takamoto Katsuta conseguiu o feito de colocar três Toyota nos três primeiros lugares da geral, ao ultrapassar Dani Sordo no final da manhã, em Amarante, embora o veterano espanhol da Hyundai termine o dia a apenas 5,7s do japonês. 

Mais um duelo para seguir com (muita) atenção nos famosos troços nortenhos. Thierry Neuville venceu o troço de Amarante 2 com um tempo-canhão (menos 33,7s do que na primeira passagem e 16,9s mais rápido do que o segundo, Rovanperä). Ainda assim, o belga – o mais direto perseguidor de Rovanperä no Mundial – só conseguiu subir até ao 5.º lugar, a 30,1s de Sordo.

A hecatombe da M-Sport Ford continua, pois Sébastien Loeb desistiu com problemas de motor, Gus Greensmith também ficou de fora com danos na suspensão e Craig Breen é o melhor representante da equipa britânica, no 6.º posto. 

Registo, também, para mais uma etapa aziaga de Sébastien Ogier, que ficou com o seu Yaris GR Rally1 assente numa berma, em Cabeceiras de Basto (PE11).

No WRC2, Teemu Suninen (Hyundai) continua a liderar, agora com 30,5s de vantagem sobre Yohan Rossel (Citroën), num dia em que Oliver Solberg abandonou com a direção do seu Hyundai partida. Armindo Araújo (Skoda) é, nesta altura, o melhor português ainda em prova, na frente de Ricardo Teodósio (Hyundai).