Desporto

Marítimo reforça sexto lugar e impõe nova derrota ao Arouca

Verde-rubros somam triunfo caseiro por 3-1, diante do Arouca

Marítimo reforça sexto lugar e impõe nova derrota ao Arouca

DR

O Marítimo reforçou ontem o sexto lugar na classificação, graças ao triunfo caseiro por 3-1, diante do Arouca, para a 26.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, ditando mais um desaire para os forasteiros.

Com as estreias a marcar de Zainadine e Keita, recentemente chamados às seleções de Moçambique e Guiné-Conacri, respetivamente, além do quarto golo de Fransérgio no campeonato, os verde-rubros chegaram aos 40 pontos.

O Arouca, que até marcou primeiro, por Sami, desceu esta ronda à 14.ª posição, com os mesmos 27 pontos, depois de ter somado a sexta derrota seguida, a quinta de Manuel Machado nos cinco jogos feitos desde que tomou o lugar deixado por Lito Vidigal.

A equipa da casa controlou as ações do jogo nos primeiros minutos embora com problemas na definição dos lances, dos quais destaca-se o remate rasteiro de Patrick, defendido por Bracali junto ao poste esquerdo.

A resposta do Arouca não podia ter sido mais eficaz, formação que marcou na primeira oportunidade, numa jogada iniciada e finalizada por dois antigos jogadores do Marítimo.

Artur lançou Walter González, que levou a melhor sobre Raúl Silva em velocidade pela ala direita, e o paraguaio assistiu Sami, com o avançado a desviar na pequena área, mas sem festejar, pedindo desculpa aos adeptos da antiga equipa.

O Arouca ganhou confiança com o golo e continuou a dar problemas à defesa madeirense, enquanto o Marítimo tentava reagir.

Após um primeiro aviso de Xavier, num cruzamento/remate que Bracali desviou para canto, aos 40 minutos, o golo do empate surgiu na sequência dessa mesma bola parada, no minuto seguinte.

Zainadine aproveitou o ressalto para 'encher o pé direito' e rematar de primeira, à entrada da grande área, deixando o guardião adversário sem reação.

Numa segunda parte marcada por várias paragens, com uma das quais a ditar a saída, por lesão, de Bracali - foi substituído por Bolat -, o Marítimo deu a volta completa ao marcador aos 62 minutos.

Na sequência dos passes de Patrick e Fransérgio, Alex Soares rematou para intervenção incompleta de Bolat e, na insistência, acabou por assistir Keita, para o primeiro golo do avançado guineense pelo Marítimo.

O Arouca subiu as linhas em busca do empate, mas acabou por ser apanhado em contrapé, quando perdeu a bola e permitiu a transição rápida e consequente terceiro golo dos insulares, apontado por Fransérgio, após assistência de Xavier.

Os momentos finais da partida ficaram marcados pelo desperdício do recém-entrado Djoussé no Marítimo, que dispôs de várias situações claras de golo, e também de Mateus, do lado do Arouca.



Declarações após o jogo Marítimo-Arouca:


Daniel Ramos: "Pela primeira vez, conseguimos uma viragem no resultado e soube muito bem, por várias razões. Primeiro, porque quando estamos a perder em casa, paira o cenário de que 'é hoje que vamos perder em casa'.

A equipa deu uma mostra de força muito grande, de querer, grande determinação em todo o jogo. Acho que entrámos muito bem. Foi injusto e penalizador o golo sofrido, estávamos por cima do jogo.

Não perdemos o rumo nem a nossa organização. Continuámos a trabalhar e fizemos um grande golo, o golo do empate, que foi extremamente importante para não mexer na equipa. O golo veio dizer-nos que só precisávamos de continuar e a continuidade aconteceu na segunda parte.

Em jeito de brincadeira, disse aos jogadores antes do jogo que, se ganhássemos e chegássemos aos 40 pontos, pagava os leitões. Se calhar, aos 50 pontos vou pagar o marisco.

Temos a ambição de querer continuar a trabalhar muito, procurar somar pontos, ver se o sexto lugar é possível e procurar, de forma humilde, o melhor resultado em cada jogo".