Economia

CGD começa a taxar transferências MB Way em janeiro de 2020

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) atualizou o preçário de comissões e vai passar a taxar as transferências MB Way a partir de 25 de janeiro de 2020, mas deixa isentos 2,5 milhões de clientes.

CGD começa a taxar transferências MB Way em janeiro de 2020

© DR

Segundo o novo tarifário publicado na página na internet da CGD, que entra em vigor em 25 de janeiro do próximo ano, as transferências via MB Way vão passar a ser taxadas em 85 cêntimos, aos quais acresce 4% de imposto de selo (ficam em 88,4 cêntimos).

Contactada pela Lusa, fonte oficial do banco salientou, no entanto, que há “2,5 milhões de clientes que vão continuar isentos”, que correspondem aos que têm Conta Caixa, aos jovens até aos 26 anos e aos que utilizam MB Way a partir das aplicações da CGD (Caixadirecta, DABOX e Caixa Easy).

O MB Way é uma aplicação para telemóveis que permite efetuar compras, pagamentos ou transferências de dinheiro sem ser necessária a utilização física de cartões de débito e de crédito.

Foi desenvolvida pela SIBS, empresa detida pelos bancos e gestora da rede multibanco, tendo atualmente mais de um milhão de utilizadores.

Depois de nos últimos anos este sistema ter sido gratuito (os clientes não pagam pelas transferências), este ano já BPI, BCP e Santander Totta passaram a cobrar.

Recentemente, vários banqueiros vieram também queixar-se da isenção de encargos para os clientes que usam o sistema multibanco. Em Portugal é proibido por lei cobrar por operações no multibanco.

Na terça-feira, a Deco revelou que 24 mil consumidores já reclamaram contra as comissões sobre transferências na aplicação móvel MB Way.

C/ LUSA